segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

SALVADOR e o SOLAR do Unhão:


O Solar do Unhão é um dos lugares mais charmosos e simpáticos de Salvador e um dos meu lugares favoritos na cidade. Um sítio histórico do século XVI, formado pelo Solar - um casarão antigo de aspecto majestoso - senzala, capela, armazém e cais. Hoje abriga uma cafeteria, o Solar Café, localizado na antiga senzala e o MAM - Museu de Arte Moderna, desde a década de 1960. 

Belezas da Bahia

Por do sol no Solar do Unhão

A beleza da baía de Todos os Santos

As cores da Bahia
Para mim, o por do sol visto desde o Solar do Unhão é um dos mais bonitos da cidade. Ele se põe sobre a baía, mudando de cores, enquanto nós ficamos sentados no chão de pedras seculares do solar. Acho que a mistura de natureza com arte e edifícios antigos é a responsável pela minha paixão por este lugar. 

De um modo geral, mesmo nos fins de semana e no verão, o Solar é tranquilo e silencioso, salvo aos Sábados quando geralmente acontece o JAM no MAM, um evento bacana de jazz, democrático e alternativo, onde fica cheio de gente em busca de música com cheiro de maresia.  As diversas e interessantes exposições do MAM acontecem na capela e nas salas que compõem o casarão. 

A capela
A beleza interior da capela

Uma das janelas da capela

A capela e suas janelas

A bela capela
Logo que descemos a ladeira e entramos no Solar do Unhão, nos deparamos com a linda e branca capela, tomando conta de tudo, reinando soberana sobre o complexo. Exposições temporárias adornam o seu interior que é muito bonito. Tem dois andares, mas nem sempre ambos estão abertos. Pelas janelas do segundo andar podemos ver parte do pátio e da baía. Eu sempre paro ali para observar o movimento e Léo precisa me tirar dos meus inevitáveis devaneios nas janelas da capela. 

Seguindo para a casa principal
Famosa escadaria

Exposição de arte moderna

Vista de uma das janelas da casa principal
Cercado pela baía de Todos os Santos, o lugar nos oferece belíssimas vistas. Não é um sítio para se visitar com pressa, ao contrário, ele merece ser sentido, visto, absorvido e apreciado. No edifício principal há uma famosa escadaria. 

Um amigo meu, arquiteto, disse que ela é uma joia e que estudantes de arquitetura costumam visitar o local para estudá-la. Sei que ela é muito fotografada por nós visitantes. Quando estive aí a última vez, uma moça fazia poses em seus andares enquanto seu parceiro tirava inúmeras fotos.

Enquanto isso, no andar de cima, duas senhoras haviam tirado os sapatos, se instalado confortavelmente nas janelas e estavam em estado contemplativo, em absoluto silencio, voltadas para o mar. Já tive a oportunidade de ver exposições maravilhosas neste espaço. Para qualquer lado que nos viremos, descobrimos algum aspecto bonito aí. 

Telhados

O contraste do velho e do novo

Velharias que interessam

O Solar Café

Decoração linda

Expresso com biscoitinhos

O Solar Café

Dependendo do dia e das exposições, podemos passar mais ou menos tempo explorando o Solar do Unhão, mas a visita sempre termina com um café no Solar Café, com boas opções da bebida, onde o expresso vem acompanhado de uns biscoitinhos deliciosos. Às vezes pode até rolar um crepe também, uma salada ou até um doce. O cardápio é bem interessante. 

A decoração é o que mais me agrada: uma mistura de moderno e colorido com o sóbrio da antiguidade. Amo o chão de pedras irregulares com o trilho usado para o transporte de mercadorias passando pelo meio da cafeteria. Gosto das paredes descascadas que ao invés de aparentar decadência, confere charme e um ar meio desligado, informal, sem necessariamente ser desleixado.

O atendimento é aquela coisa de quase todos os lugares da cidade: lento e nem sempre simpático. O jeito é rezar para os orixás e os santos que cuidam desta terra boa, de cultura forte e singular, para que a pessoa que for nos atender esteja disposta e de bom humor. Se não for o caso, o jeito é respirar fundo e lembra que estar no Solar do Unhão vale à pena.

Parte do complexo está em reforma.