terça-feira, 26 de agosto de 2014

No AHU AKAHANGA, onde os MOAIS, estão caídos, em Rapa Nui, Chile

Ahu Akahanga

Nos dias atuais, a população local tenta proteger a natureza. O cercado protege a plantinha do vento
Aquelas pedras maiores ao longe são os moais, que estão caídos
Um moai caido (ao fundo da imagem) no AHU AKAHANGA
Ahu Akahanga
A parada seguinte foi o  AHU AKAHANGA. Aqui, ao contrário do AHU TONGARIKI, os moais estão caídos, muitos de cara virada para o solo, como se tivessem perdido uma guerra. A sensação é a de um local onde houve um conflito e aqui ficaram os perdedores, destruídos e humilhados. O lugar me passou uma impressão de abandono, o que torna este lugar interessante, porque é mais um mistério, diferente dos que vi até então.

Não é tão fácil assim, no entanto, identificar os moais. Eles, em um primeiro momento, parecem um amontoado de pedras disformes, que não significam absolutamente nada. É preciso um olhar mais atento, observar para então identifica-los, jogados, mortos, abandonados, destruídos.

Há uma preocupação atualmente, com a preservação da natureza. Vimos, por exemplo, plantas protegidas dos fortes ventos, por cercados de pedra. Há uma conscientização também para que nós turistas não joguemos lixo em qualquer lugar.

Entrada de uma caverna
Aqui encontramos também uma caverna, como a da foto, com uma entrada bem estreita, onde só era possível entrar de joelhos no chão. Elas eram construídas desta forma para evitar que os inimigos entrassem. Se isso acontecesse ele era degolado. 

Houve muitos conflitos em Rapa Nui, entre os diversos clãs que habitaram a ilha. Há inclusive histórico de canibalismo em um momento da ilha em que o alimento estava escasso. O guia nos contou algumas histórias desse tipo.

Depois do AHU AKAHANGA, nós fomos almoçar na sede da empresa de turismo que contratamos, através do hotel que estávamos hospedados. Um almoço simples estilo buffet. O guia sentou-se em nossa mesa e aproveitamos para fazer diversas perguntas a ele sobre histórias rapa nui e sobre o estilo de vida, dificuldades de se viver em uma das ilhas mais isoladas do mundo e a relação dos ilhéus com o Chile (nada boa ou confortável, ao que parece). Descobrimos coisas muito interessantes com esta conversa sobre o passado e o presente da Ilha de Páscoa.