domingo, 7 de setembro de 2014

Ilha de Páscoa - resumo e conclusões

Sobrevoando a Ilha de Páscoa

O piloto sobrevoa algumas vezes para nosso deleite

Descemos direto na pista no aeroporto Mataveri

Bemvindos

Todos já devem ter ouvido falar mil vezes o quanto a Ilha de Páscoa é sensacional. É a pura verdade. Devo ressaltar no entanto que àqueles que não amam a natureza, que são mais urbanos, não devem incluir a ilha em sua lista de destinos.

Pedaços da Ilha de Páscoa

Cena bucólica

Em compensação, quem ama a natureza não deve perder tempo e levar Rapa Nui para o topo de sua lista de destinos imediatos. Eu conheço alguns lugares onde a natureza é comum, alguns onde ela é exuberante, outros em que ela se mostra grandiosa ou esplendorosa. No entanto, nenhum destes lugares me impressionou tanto quanto esta pequena ilha perdida no meio do nada. Talvez por ela ser tão primitiva ainda, ou talvez pela forma furiosa, bruta e muitas vezes agressiva como ela se apresenta diante de nós. 

As cerejas do bolo são as lendas e mistérios que envolve o povo, os moais, os primeiros habitantes, a história daquele lugar inóspito. E aqui vai minha primeira dica para quem vai viajar para lá: leia antes sobre o que dizem estas lendas. Uma vez na ilha, converse com os locais. Ouvi coisas lá que não havia lido em nenhum lugar.

História atual

Hanga Roa

Tem muitos cachorros na ilha que se chegam e se fazem de guias. Este aí parou para saber porque eu parei.

Eles esperam pacientemente e ainda posam para foto com ar blasé
Li em muitos blogs, antes de viajar, que a melhor maneira de visitar a Ilha de Páscoa, era alugar carros ou contratar os passeios com guias. Claro que depende do estilo de cada viajante, mas pelos meus posts anteriores acho que ficou claro que há outras maneiras. Vivo em uma cidade urbana, caótica. Vivo em carros e em lugares fechados com ar condicionado. Nesta viagem queria vento na cara, contato com vegetação, caminhar, pedalar, correr: colocar meu corpo para suar. 

Consiga um mapa em seu hotel. É muito fácil andar pela ilha pois há placas de sinalização em todo canto e é uma ilha muito pequena. 

E não vacile. Não deixe a janela do quarto de seu hotel aberta, não confie nas pessoas inteiramente, não deixe seus pertences à toa, use o cofre. O final de minha viagem deixou um gosto muito amargo com o furto de meu passaporte e bens de valor, do meu quarto de hotel, enquanto eu tomava banho. Fora toda a burocracia para conseguir sair do Chile, depois disso. 

Caminhar sem pressa. Aliás, fazer tudo sem pressa para apreciar cada momento

Às vezes, em vez de ver o por do sol no Ahu Tahai, gostava de vir aqui. Ali na ponta, no canto superior esquerdo da foto, está la caleta

Bom para namorar, tomar banho, fazer nada... perto do ahu tahai

Ahu Riata descansando, curtindo a paisagem, admirando a vista, com meu guia do dia
Enfim: vá, divirta-se, aproveite que vale muito à pena.