quinta-feira, 16 de julho de 2015

ÚLTIMO dia em MOSCOU! Último dia na Russia: State TRETYAKOV Gallery e Centro de EXIBIÇÃO de TODA a RUSSIA.


O charme das curvas sóbrias desta cidade

A beleza sóbria de Moscou
Último dia em Moscou! Último dia na Russia! Pela manhã visitamos o State Tretyakov Gallery e pela tarde rumamos para o Centro de Exposição de Toda a Russia. Fazia frio e o céu estava meio cinza: era o início da primavera neste país que deixou lindas marcas em meu coração.

Fachada do State Tretyakov Gallery

Fachada do State Tretyakov Gallery

Fachada do State Tretyakov Gallery
Eu sou uma apaixonada por museus. Amo voltar no tempo e imaginar as cenas pintadas em quadros, os objetos antigos que uma vez foram caros a alguém. Ao chegar no Tretyakov, eu logo me encantei pelo prédio de paredes vermelhas e com ar aconchegante. Ficamos um tempo observando e absorvendo a cara do Tretyakov. 

A entrada fica na lateral e a bilheteria, bem como as tradicionais lojinhas, ficam dentro do prédio, no foyer. O Tretyakov me deu tudo o que eu estava buscando desde que cheguei no país: uma enorme coleção de quadros pintados por artistas russos, sua história contada através de imagens. Eu tinha sido despertada para eles, alguns anos antes, quando, por um acaso, vi uma exposição temporária em Santiago do Chile, onde vários artistas pintavam cenas rurais e camponeses. Era uma exposição muito pequena e muito apaixonante.

A galeria russa de fachada em tons avermelhados, lembrando a terra, possui 62 salas numeradas e fáceis de serem seguidas. Elas estão organizadas por ordem cronológica, a partir do segundo andar. Pinturas que são o retrato da Russia ao longo de alguns séculos: rostos, expressões, cenas. Pessoas que construiram (ou destruiram) aquele país, que viveram suas histórias e que foram imortalizados por artista sensacionais como o impressionante Boyarina Morozova, de Vasily Surikov, sec. XIX.

Foi um deleite e tanto me perder por aquelas paredes, entrando e saindo de sala. O State Tretyakov Gallery, tornou-se facilmente, um de meus museus favoritos no mundo. 

Arredores do State Tretyakov Gallery
O tradicional My My

Almoço
Cafeteria
Nos arredores da galeria, há um centro de compras, restaurantes e cafeterias. Não foi difícil encontrar um para almoçar antes de seguir para o Centro de Exposição de Toda a Russia.

Escolhemos o My My, o restaurante da vaquinha, muito tradicional por lá, pelo que havíamos lido. O estilo é bandejão: apontamos para a comida e uma pessoa vai colocando no prato. Alguns itens são pesados e outros são porções. Eu fui apontando para as opções que me pareceram mais ou menos conhecidas como frango e arroz. Estava tudo gostoso.

Depois do almoço entramos em uma cafeteria para um café. Tem que ter né?

Eu, pequenina diante do monumento em homenagem aos astronautas russos

Detalhe do monumento em homenagem aos astronautas russos
Monumento em homenagem aos astronautas russos

Monumento em homenagem aos astronautas russos
Muito próximo ao Centro de Exposição, quase ao lado da entrada, fica o realmente impressionante e imponente Monumento em Homenagem aos astronautas russos.

A entrada para o Centro de Exposição de Toda a Russia

Centro de Exposição de Toda a Russia

Centro de Exposição de Toda a Russia

Centro de Exposição de Toda a Russia


Centro de Exposição de Toda a Russia


Foguetes em exibição
Belos jardins celebram a primavera
A entrada (gratuita) já me disse o que eu iria encontrar no Centro de Exposição de Toda a Russia: grandiosidade! Não estava errada. Concebido em 1935, na era Stalinista, só foi de fato inaugurado em 1939. Com 2 kms de extensão por 1 km de largura é um lugar incrível. 

Uma grande avenida de pedestres, vários pavilhões fechados e muitos monumentos majestosos, além de belos jardins, conta (ou exibe) um pouco das realizações da economia nacional e por isso também é conhecido pelo nome de Centro de Exibição das Realizações da Economia Nacional, contendo inclusive foguetes de fabricação russa. 

Estar no Centro de Exibição de Toda a Russia é meio como olhar de novo para o período comunista, é lembrar de nossas aulas de história do período da guerra fria. Para quem viveu àquela época e tinha medo do famoso botão que o presidente russo ou americano podia apertar a qualquer momento, iniciando a terceira guerra mundial, e com ela, talvez o fim do mundo, não ficará indiferente neste lugar.

Estava bem frio mas ainda tivemos ânimo de visitar a loja de quinquilharias que fica próxima à entrada do Centro, com muitos símbolos russos sendo vendidos e muitos turistas comprando de tudo, inclusive ovos Fabergè caríssimos. 

Adeus Russia: tomando o metrô de volta para o hotel, em nosso último dia na Russia.
Já era noite quando deixamos o Centro, em direção ao hotel. Fizemos um lanche no metrô, observando o vai e vem de pessoas, nos despedindo silenciosamente daquele país, riquíssimo em história, que nos recebeu de braços abertos.