sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Demasiados HEROES de Laura RESTREPPO e uma VIAGEM à Colômbia:

Demasiados Héroes e um café
Antes de viajar para um país eu estudo, não somente seus pontos turísticos, como também um pouco de sua história. Além disso, tento ver filmes que se passem ou façam referência aos lugares que vou visitar, assim como leio livros de autores locais ou que sejam ambientados em meus destinos. 

Por conta do meu trabalho, que esteve puxado nos meses anteriores à minha viagem para Colômbia (Medellín e arredores), eu só consegui ler Demasiados Héroes, 2009 (Herois Demais) de Laura Restreppo, autora colombiana, nascida em Bogotá, em 1950.

O livro conta a história de Lorenza, Forcás e o filho dos dois, Mateo. 

Demasiados Héroes

Laura Restreppo

A história de Lorenza, Forcás e o filho dos dois Mateo

Este livro eu ganhei de um casal de amigos super querido: ela é colombiana e ele é argentino. Ambos vivem atualmente em Buenos Aires, onde se passa parte da história de Demasiados Héroes, na busca ansiosa e apavorada de Mateo pelos ecos de um passado que lhe pertence, mas que não foi ele quem o escreveu.

Mãe e filho saem de Bogotá para que Mateo possa domar estes fantasmas, se apoderar deles para então conseguir viver o presente e escrever seu futuro. Fantasia, realidade e imaginação são elementos deste passado que Mateo quer (ou precisa?) visitar para se empoderar de sua vida e tirá-la das mãos de outras pessoas.

Neste intercâmbio, Colômbia X Argentina, dois países que tem lugar cativo em meu coração, onde Restreppo traça um paralelo através das militâncias de Lorenza e Forcás, percebemos as diferenças culturais e linguísticas entre eles, que ao invés de afastar, une, fortalecendo e estreitando relações com muita naturalidade e alguma pilhéria.

Mateo me aborreceu em vários momentos do livro, assim como a benevolência e paciência de Lorenza, apesar de ser absolutamente compreensível a sua insegurança, irritabilidade e medo diante daquele pai de sombras, que sumiu no mundo e que ele conhecia apenas através das histórias de sua mãe, de seus sonhos e desejos.

Demasiados Héroes não me colocou, com eu pretendia, na região de Antioquia e não me deu nenhuma outra pista sobre aquela região montanhosa e tão interessante, além do que eu já sabia, mas me colocou no contexto colombiano, de uma maneira pálida, é verdade, mas que sempre ajuda de uma maneira ou de outra.

Para conseguir entender um pouco mais sobre este destino, comprei em Medellín dois livros: El Mundo de Afuera de Jorge Franco e La Oculta de Héctor Abad Faciolince.