sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

O transmilênio em BOGOTÁ: adiós MEDELLÍN, hola Bogotá:

Aeroporto Internacional José María Córvoda em Rionegro

Aeroporto Internacional José María Córvoda em Rionegro

Aeroporto Internacional José María Córvoda em Rionegro
Nosso voo saiu cedo de Medellín, do aeroporto José María Córdova em Rionegro, cidade vizinha, o mesmo em que havíamos chegado. O destino era Bogotá onde teríamos um dia inteiro de conexão, antes de tomar o voo de volta para o Brasil. Estava animada para rever a capital colombiana.

Arepas


Guarda volumes do El Dorado
Compra de bilhetes para o transmilênio
Desembarcamos no Aeroporto Internacional El Dorado e fomos logo atrás de arepas. Há muitos quiosques que vendem este e outros tipos de lanches. Estavam deliciosas! Era a despedida.

Como tínhamos o dia inteiro de conexão por ali, já que nosso voo para o Brasil só saía à noite, fomos dar uma volta na cidade. Deixamos nossas coisas (computador, cabos, guias, etc - as malas seguiram direto para o Brasil) no guarda-volumes do aeroporto (10.000 pesos colombianos por 12 horas) e seguimos para o centro, usando como meio de transporte, o transmilênio.

Em frente ao terminal 6 do aeroporto, na área externa, fica uma pessoa vendendo bilhetes para o transmilênio (3.000 pesos colombianos). A compra é obrigatória e ela te orienta sobre qual deles pegar e onde descer.

O transmilênio

Baldeação na Estação El Dorado

Informações como no metrô

O transmilênio
Fizemos uma baldeação na Estação El Dorado e de lá tomamos novo transmilênio para a estação Universidades, pois o nosso destino era La Candelaria, a parte histórica e antiga de Bogotá. Há luminosos na estação que indicam o ponto de parada dele, bem como o tempo que ele levará para chegar, assim como dentro do ônibus, o que facilita sabermos onde devemos descer.

Os ônibus são muito novos: na ida pegamos vazio e fomos sentados. Na volta ao aeroporto estava lotado, pois era hora do rush, e fomos em pé e apertados, mas não espremidos.

A viagem é bem eficiente já que ele usa o corredor exclusivo, mas é bem mais lento, obviamente, que metrô. Em compensação podemos ir olhando e conhecendo a cidade.

Entrada e Saída do Transmilênio
A entrada e a saída são cobertos e as vezes interligados à rua por corredores, como nos metrôs. Vimos artistas, como músicos, fazendo suas performances nos corredores, alegrando a passagem dos transeuntes.

Eu gostei da experiência de andar de transmilênio: fácil e prático, mas é melhor pegar fora dos horários de pico.