terça-feira, 26 de janeiro de 2016

FINALMENTE, chegamos à ITÁLIA:


Finalmente chegamos à Itália: pousamos em Roma (Aeroporto Internacional de Roma - Leonardo Da Vinci, também conhecido como Fiumicino) por volta de 18:30. Um ônibus nos levou até a área de desembarque onde um painel nos mostrou em que esteira deveríamos resgatar nossas bagagens, que chegaram muito rápido.  
No saguão, escolhemos uma das muitas lanchonetes disponíveis e fizemos um lanche, pois ainda teríamos que esperar cerca de 1 hora até a saída do trem, da Stazione Fiumicino Aeroporto, para o nosso destino final: Florença. 

Iniciando caminhada para a Stazione Fiumicino Aeroporto

Usando as placas como guia: há o desenho de um trem

Caminhando em busca da estação de trem

Uns bons minutos caminhando

Chegando na Estação de Trem Fiumicino Aeroporto
Acessamos a estação por dentro do aeroporto. Fomos seguindo as placas, onde em uma delas havia o desenho de um trem. Levamos uns bons minutos caminhando, mas foi muito fácil chegar. 

Compramos nossos bilhetes no site do Trenitalia, ainda no Brasil. O site é muito tranquilo de ser usado: origem: Fiumicino Aeroporto e destino: Santa Maria Novella em Florença, a principal estação da cidade. O trem fez uma conexão na estação Roma Tiburtina. Levamos os bilhetes impressos com o código de barras bem visível. 

Pronta para entrar no trem com destino a Florença

Máquina para validar e senhorzinho para orientar

Nosso trem

O trem por dentro
Para ter acesso à plataforma, tivemos que apresentar nossos bilhetes impressos a um funcionário da estação de trem. Para quem comprou na própria estação (guichê ou máquinas) tinha que validar o bilhete em uma máquina disponível na entrada da plataforma.

O trem atrasou: ele tinha dois andares, bagageiro pequeno e estava lotado. Tivemos que acomodar nossas mochilas pelos corredores, assim como os outros passageiros. Levamos cerca de 45 minutos até a Estação Tiburtina (o trem faz várias paradas) onde fizemos uma baldeação. Dentro do trem há um mostrador indicando os nomes das estações.

Destino final: Santa Maria Novella em Florença - nosso trem é o da esquerda

Na espera: atrasado

Estava frio

Finalmente chegou o trem

O trem por dentro

Bagageiro grande

Exausta depois de tantas horas me deslocando desde o Brasil
Ao desembarcamos em Tiburtina tivemos que apressar o passo, pois o tempo de conexão era bem apertado. Seguimos as placas, descemos as escadas e chegamos à plataforma. Havia dois trens saindo para Santa Maria Novella em Florença, com diferença de 5 minutos e identificamos o nosso pelo número.

Este trem também estava atrasado, eu estava exausta e fazia muito frio. A esta altura já estava contando os minutos para chegarmos à Florença. Estava no limite de minhas forças depois de tantas horas de deslocamento e sem dormir.

Este trem era maior que o primeiro, estava vazio e o bagageiro era grande o suficiente para acomodarmos as nossas mochilas. Em mais ou menos 1 hora e meia chegamos em Florença.

Santa Maria Novella - Florença
Acho que nosso trem foi o último a chegar à estação, que estava vazia, gelada, quase escura, com alguns poucos funcionários fazendo a limpeza e as lanchonetes já com as portas arriadas.

Fomos para um lado e para outro e não conseguíamos achar a rua que buscávamos para chegar ao hotel. Pedimos, então, informações a um funcionário de uma das cafeterias que nos orientou e nos pusemos a caminhar para o Hotel Best Western, onde seria nossa casa pelos próximos dias.