sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

CHIESA di San MINIATO al Monte, Florença:


Aquela noite em Florença chegou ainda mais gelada que o fim de tarde. Depois de assistirmos ao lindo por do sol na Piazzale Michelangelo, de onde temos uma belíssima vista de Florença, nós caminhamos até a Chiesa di San Miniato al Monte (Via Monte alle Croce), um pouco mais acima, virando à direita na pista principal.

Estava tudo escuro e não havia ninguém mais andando além de nós. Muito de vez em quando passava um carro. Eu podia ouvir os meus passos e me senti como se estivesse em um filme de terror e esperei que a qualquer momento fôssemos atacados na estrada.

Seguimos no tato e no instinto porque não havia nenhuma indicação de como chegar à igreja. Pelo menos, eu não vi, na escuridão da noite e com meu coração aos pulos, batendo mais que os sinos das muitas igrejas de Florença.

Chiesa di San Miniato al Monte

Chiesa di San Minato al Monte
Enfim chegamos aos pés da escadaria da Chiesa di San Miniato e eu tive vontade de desistir: tudo estava frio, escuro e parecia deserto. Mas a Igreja estava bem ali, linda, olhando para nós, nos chamando, ao alcance de meus dedos. Não resistimos. Além disso, Sônia havia nos dito que àquela hora, 17 horas, haveria uma missa com cantos gregorianos e eu queria muito ver aquilo porque gosto de assistir rituais. Subimos as escadarias. No alto, alguns jovens estavam sentados na mureta. A igreja estava aberta e a missa já havia começado.

Chiesa di San Minato al Monte e a nave principal

Chiesa di San Minato al Monte suas colunas e uns poucos turísticas que entravam vez ou outra

Léo buscando informações sobre San Miniato

Léo assistindo a missa que acontecia na cripta em um nível mais baixo

As escadarias que levam ao andar superior

O teto
A Igreja de San Miniato al Monte é uma igreja romântica, cuja construção iniciou-se em 1018 sobre o túmulo de San Miniato, um rico negociante armênio que foi decapitado no século III devido às suas crenças. Ele deixou seu país e saiu em peregrinação até Roma. Chegou a Florença no ano de 250 d. C. e tornou-se um ermitão.

San Miniato estava na penumbra quando entramos e a voz do padre ecoava no silêncio com o sermão daquela noite. A missa acontecia na cripta, que se localiza ao fundo da nave principal, em um nível mais baixo e abriga diversos túmulos.

A igreja por dentro é estonteante: alta, com afrescos antigos e chão de mármore.

Deixando-me levar por aquele clima eu caminhei pela igreja, em silêncio, onde somente se ouvia a voz do padre rezando em latim. Não enxerguei os detalhes, não vi muita coisa, apenas senti. Eu estava no andar superior quando trovejaram, por todos os poros da pequena chiesa, os cantos gregorianos. Minha alma se arrepiou. Eu parei e fechei os olhos: foi forte, foi mágico.

Ouvindo e sentindo a atmosfera mágica por conta da missa rezada em latim e dos cantos gregorianos
Desci e sentei-me em um dos bancos para continuar ouvindo. O lugar tinha uma atmosfera diferente, à meia luz, com a missa em latim alternando com os cantos gregorianos em um lindo templo romântico do século XI. Em nenhum momento eu assisti a missa, mas era possível descer e sentar-se na cripta para ver. 

Foi absurdamente marcante, intenso, espiritual. Eu gostaria de ter voltado à San Miniato durante o dia para ter a oportunidade de observar seus detalhes, poder ver tudo o que a pouca luz não me deixou ver, ou então para ver o por do sol novamente, desta vez da mureta da bela igreja, mas infelizmente não tivemos tempo. 

A fachada de San Miniato que mostra diferentes influências de séculos distintos de reformas

A linda vista de Florença desde a mureta de San Miniato

Iniciando a descida para a cidade na calada da noite escura

A Torre de San Niccolò que tinha a função de vigiar o rio Arno para evitar invasões de inimigos: um dos monumentos que podemos ver mais ou menos de perto em nossa descida da Piazzale Michelangelo. 
Ao final da missa, saímos para o ar frio da noite toscana e a energia que circulava era pujante, poderosa. Do pátio de San Miniato também temos uma vista ampla e bonita de Florença. A noite estava agradável e resolvemos descer para o centro caminhando.

É uma descida fácil: voltamos para a Piazzale Michelangelo e pegamos a estradinha que passa por baixo da mureta. No caminho pudemos ver mais ou menos de perto a torre de San Niccolò, cuja função era vigiar o rio Arno para evitar invasões de inimigos. Mais uma vez somente nós caminhávamos. A noite era inteiramente nossa.

O rio Arno, com a Ponte Vecchio ao fundo e o Palazzo Vecchio ao lado direito da foto. 

Tem alguma coisa mágica nas luzes de Florença

Florença é linda à noite e vale a caminhada, mesmo no frio.

Florença com sua beleza imperfeita
Voltamos para o hotel margeando o rio Arno e Florença estava linda, toda iluminada, com os prédios lançando seus reflexos nas águas. Há algo de mágico nas luzes de Florença, sejam elas naturais ou artificiais.

Foi assim que nós encerramos nosso segundo dia na cidade. Definitivamente Florença era muito, muito mais do que prometia ser.