terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Piazzale MICHELANGELO e o POR do SOL em Florença:



Depois de um almoço farto e guloso onde descobrimos o sabor da bistecca alla fiorentina, acompanhado de um saboroso vinho tinto, resolvemos seguir mais uma das sugestões de Sônia, a brasileira que trabalha nos postos de informações turísticas de Florença e subimos para ver o por do sol na Piazzale Michelangelo e quando a escuridão tomou conta de Florença, caminhamos até a Chiesa di San Miniato al Monte.

À caminho da tabacaria

Andar por Florença é uma delícia

O sol esperou para despedir-se de nós
Da Via della Scalla onde almoçamos, nós regressamos para a tabacaria na esquina do Best Western Hotel Palazzo Ognissanti, para comprarmos as passagens de ônibus que nos levaria até a Praça Michelangelo. Quando entramos, o senhorzinho que estava atrás do balcão resmungou alguma coisa e quando dissemos que não havíamos entendido, ele nos sorriu e repetiu devagar: vocês já estiveram aqui hoje, pela manhã, também para comprar passagens de ônibus, não foi?

Sorrimos diante da simpatia dele (e da boa memória) e confirmamos.

Seguimos novamente para a Estação de Santa Maria Novella e em frente a ela pegamos o ônibus 12 (podia ser o 13 também). Dentro do ônibus validamos os nossos bilhetes e ficamos em pé olhando o entra e sai de pessoas.

Era hora do rush e o trânsito estava terrível. Levamos muito tempo presos entre carros e buzinas e foi enlouquecedor assistir a sinaleira nos cruzamentos abrir e fechar e nós não andarmos um único milímetro. Para completar, a calefação fazia o ônibus parecer uma sauna. Sinceramente eu achei que quando chegássemos à Piazza Michelangelo o sol já teria dito tchau!

O jeito, para minimizar minha ansiedade e frustração, foi prestar atenção nas outras pessoas que lotavam o ônibus. Havia um casal muito bem arrumado: ela oriental, com vestido de seda e sapato alto e ele, inglês, de terno. Estavam próximos de nós, de pé também.

Em determinado ponto os, aparentemente infalíveis, fiscais entraram e começaram a pedir os tickets de todo mundo. O casal não tinha. Ele tentou argumentar que não sabia que era necessário comprar os bilhetes (que eu saiba na maioria dos países do mundo tem que se pagar para utilizar os meios de transporte público). Resumo da ópera: ele sacou duas notas de 50 euros e pagou na hora a multa recebida.

Por sorte, quando chegamos à praça, o sol ainda esperava para despedir-se de nós. E que espetáculo lindo! 

Vendedores na Piazzale Michelangelo

Pessoas na Praça Michelangelo esperando o espetáculo da natureza

Réplica do Davi de Michelangelo

A bela vista de Florença desde a Praça Michelangelo

Valeu à pena enfrentar o frio para ter esta vista magnifica
A praça em si, projetada na década de 1860 por Giuseppe Poggi, não tem nada de especial: alguns postes bonitos e uma réplica do Davi de Michelangelo. Ninguém prestava muita atenção. Neste momento a única arte que interessava era a que o sol estava iniciando, pintando o céu, as colinas da Toscana e o rio Arno e mudando as cores de Florença, nos presenteando com um quadro belíssimo. Talvez o mais interessante da praça seja a sua posição: como ela fica no alto temos uma vista maravilhosa de Firenze.

Era uma sexta-feira de outono e o fim de tarde estava gelado. As temperaturas haviam caído para perto de zero. Para mim, o cenário perfeito!

Que se inicie o espetáculo

Como não apreciar tão bonito cenário?

Florença é bonita de qualquer ângulo

Florença e seus principais monumentos

Com ele tudo fica mais especial

A Ponte Vecchio fica especialmente bonita sob o céu da Toscana

Pura beleza

A noite chegou gelada

As luzes da cidade acendem

                         Deixando a Piazzale Michelangelo e seguindo para a Chiesa di San Miniato al Monte 
Encontramos um lugarzinho perto da murada e ficamos ali tentando reter na alma todas as cores, todas as luzes, nuances e tonalidades daquele momento. O sol foi ostentoso, espalhafatoso, deliciosamente berrante utilizando incrível paleta de cores, enquanto bailava em sua despedida, para nosso mais puro deleite.

O céu da Toscana é lindo, seja na presença do sol, seja iluminado pelas luzes da cidade. Ele é intenso. Florença é uma senhora cheia de dignidade que exposta a qualquer luz, ela brilha. Não se importa em expor suas rugas, suas cicatrizes, testemunhas de sua vida, vivida e gasta.

Não sei quanto tempo ficamos por ali, mesmo depois de o sol já ter se posto, mas poderia ter ficado muito mais: Florença iluminada com as luzes artificiais estava majestosa. Do alto, pudemos ver os seus principais monumentos, reinando absolutos sobre o Rio Arno. A Ponte Vecchio fica especialmente bonita lançando seus reflexos sobre as águas do rio. A vista é magnífica e mais ainda à noite quando o sol já se tinha recolhido. 

A noite chegou ainda mais gelada que o fim de tarde e nós nos embrenhamos pela escuridão com destino a Chiesa di San Miniato, onde viveríamos um momento muito especial. História para outro dia.