quarta-feira, 9 de março de 2016

O BATISTÉRIO de São JOÃO BATISTA, Florença:


Depois de almoçarmos pizza no Black Bar, fomos visitar o Batistério e na sequência o Museo dell’Opera del Duomo: ambos contadores de histórias, cujos acessos foram permitidos com o mesmo bilhete utilizado na Cúpula de Brunelleschi e nas Ruinas de Santa Reparata.

O Batistério

Portão sul que conta a história de São João Batista
O Batistério, um dos mais antigos prédios de Florença (talvez sua construção seja do século IV) é uma bonita estrutura octogonal de mármore verde e branco que junto com a Catedral de Santa Maria del Fiori e o Campanário formam o Complexo do Duomo. Ele possui três conjuntos de portões: leste, norte e sul e é dedicado a São João Batista, 

Cada portão representa um momento da Bíblia: histórias do Antigo Testamento (Porta Leste), as histórias de São João Batista (Porta Sul) e o Novo Testamento (Porta Norte).

Lorenzo Ghiberti ganhou um concurso público, derrotando inclusive Brunelleschi e Donatelo, no início do século XV, para desenhar os portões do norte e levou 21 anos trabalhando nele.

Após a sua conclusão, recebeu a encomenda dos portões do leste, que são formados por dez painéis em relevo mostrando cenas bíblicas como Abraão e o sacrífico de Isaac, enfatizando o ato de sacrifico e apelidado por Michelangelo de Portões do Paraíso. Os portões verdadeiros estão no Museo dell`Opera del Duomo. 

Recorte do Batistério

Os detalhes do Batistério

O altar

Piso geométrico

Pia batismal

Não há como não admirar
Não havia fila para entrar no Batistério, o trânsito de pessoas fluía, o que logicamente achei ótimo. Dentro estava cheio, mas não lotado. O lugar é pequeno e glorioso. Quiça este tenha sido a construção com o interior mais bonito que eu tenha visitado em Florença, talvez por conta de sua estética diferenciada, com seus arcos, pisos com geometrias diversas e um lindo mosaico na boveda representando o Juízo Final.

Ele tem um ar gasto, usado, mas longe de ser decadente, pelo contrário suas cores me remeteram a nobreza, requinte, sofisticação, com um pezinho no exagero, mas que não comprometeu em nada a beleza do lugar. Até a pouca luz confere harmonia ao Batistério.

Dante Alighieri e muitos membros da importante família Médici foram batizados aqui.  

Mosaico representando o Juízo Final

Jesus Cristo

Anjos e o Inferno

Arcanjos e a expulsão de Adão e Eva do Paraíso
Um dos elementos que mais me chamou a atenção foi o mosaico em seus tons de dourado, octogonal, seguindo uma hierarquia onde o inferno está na base da estrutura. O mosaico representa os anjos e arcanjos, as histórias das Gênesis, a história de José, da Virgem Maria e de Jesus, além da história de São João Batista e o Juízo Final com as recompensas dos bem aventurados e os castigos dos condenados.

Ele é do século XIII e teria inspirado o Inferno de Dante. Dá para sentar em um dos bancos colocados em frente ao altar e se deixar viajar por estas histórias, contadas através de imagens tão vivas. 

As pessoas, os prédios e a cidade

Florença movimentada no Sábado à tarde
Quando deixamos o Batistério, Florença estava ainda mais movimentada. Era sábado à tarde e muitos turistas e famílias florentinas passeavam pelo centro da cidade. 

Nós caminhamos para o Museo dell´Opera para nos deliciarmos com mais obras de arte dos mestres que habitaram este planeta e o encheram de beleza para nós.