sexta-feira, 1 de abril de 2016

Um ÔNIBUS nos levou de Florença à SIENA:


Estação de ônibus de Florença
Na segunda, cinco dias após chegarmos a Florença resolvemos deixar a cidade dos Médici e fazer um bate/volta até Siena. Pegamos um ônibus na pequena rodoviária que fica muito próxima à Estação Santa Maria Novella, do outro lado da rua. Ela pode passar despercebida à primeira vista, pois lembra uma garagem de ônibus, mas qualquer dificuldade é só perguntar a algum transeunte.

Na rodoviária de Florença

Esperando o ônibus em Florença

A sala de espera na rodoviária

Os quadros com os horários e plataforma de saída
No domingo, passamos pela rodoviária para buscar informações sobre a timetable dos ônibus e os valores. O rapaz que nos atendeu não foi exatamente simpático, mas foi eficiente e nos deu um papel com os horários de partidas dos ônibus e nos disse que não era necessário comprar com antecedência.

Compramos as passagens no mesmo dia, (só de ida, pois não sabíamos em que momento iríamos deixar Siena) cerca de 30 minutos antes do horário de saída do busão.  Nós escolhemos o Rápida que partia às 08:50 (7,80 euros). Foi muito descomplicada a compra. 

Na rodoviária, que é minúscula, há uma sala de espera com cadeiras e com o mais importante: aquecimento. Florença estava cada dia amanhecendo mais fria. Ali também está exposto um painel com os horários e plataformas onde os ônibus irão estacionar. É só olhar e aguardar. 

A máquina onde validar os bilhetes

No primeiro andar do ônibus, aguardando a partida
O ônibus partiu com poucos passageiros. Antes de entrarmos, validamos nosso bilhete (é obrigatória esta validação) na maquineta e subimos para o primeiro andar do ônibus para ter uma vista do alto das estradas da Toscana. Valeu a escolha porque a paisagem é mesmo muito bonita. Ainda mais com as cores do outono. 

Sei que não fui nada original ao me apaixonar pela região, mas o que é bonito, é bonito, como diziam minhas amigas paisas (nascidas na região de Antioquia, na Colômbia). A viagem durou mais ou menos 1 hora e meia, a estrada é ótima e havia com pouco tráfego, mas a saída de Florença estava com o trânsito muito pesado e amarrado. 

Bela Siena

Arquitetura 

Influências de séculos variados e um emaranhado de ruas

No ritmo do início de semana: cidade pequena sempre cabe um encontro entre amigos

Encantada com Siena
Eu fui arrebatada por Siena no momento em que eu coloquei os pés nela. Foi sem dúvida um caso de amor à primeira vista que foi se afirmando e firmando à medida que o tempo foi passando. Entreguei-me àquela cidade, me desfiz, me abandonei e deixei um pedaço de minha alma quando fiz o caminho de volta à Florença.

Siena já foi uma rival de peso de Firenze e teve seu auge entre os anos de 1260 e 1348. Reza a lenda que esta pequena e elegante cidade de pouco mais de 52.000 habitantes teria sido criada mais ou menos à mesma época da poderosa Roma pelos filhos de Remo. Siena é uma joia emaranhada de vielas e ruas, de ladeiras que sobem e descem de labirintos que levam a lugar nenhum e a todos os lugares.

Café no balcão escutando o ritmo da cidade que acorda

Ah, o amado café italiano

O Nannini Café e o movimento de Siena

Siena nos recebeu com um bonito dia de sol e um friozinho gostoso. Nossa primeira parada foi para tomar um café: preto, puro e forte, no balcão, para apreender e escutar o ritmo daquela cidade que estava acordando naquele início de semana.

Na Nannini Cafe (Via Banchi di Sopra, 24), homens e mulheres de muitas idades faziam o mesmo que nós e trocavam cumprimentos, ideias, sorrisos e adeuses naquela língua cantada e bonita, compasso típico de uma cidade pequena. 

A Piazza del Campo
Abastecida de café e inebriada com a atmosfera de Siena, em total estado de encantamento, eu estava preparados para explorar a cidade e nosso primeiro destino foi a Piazza del Campo, uma praça velhinha, criada lá no século XIII. Mas esta história eu conto mais tarde, em outro dia.

Siena em imagens: