domingo, 30 de outubro de 2016

O HOFGARTEN (Jardim da Corte), o Haus der Kunst e o nazismo, além do ENGLISCHER Garten, o que VER em MUNIQUE, Alemanha:

Hofgarten Residenz O que ver em Munique Alemanha

Depois de observarmos e absorvermos a Odeonsplatz e tentarmos, apenas tentarmos, imaginar o que não deve ter sido o confronto entre policiais e nazistas durante o fracassado Golpe da Cervejaria, cuja violência de ambos os lados deu o tom daquele momento histórico, nós seguimos em direção ao Hofgarten para renovar as forças misturados à natureza. 

Hofgarten O que ver em Munique Alemanha
Cenas cotidianas

Residenz O que ver em Munique Alemanha
Residenz

Hofgarten ou Jardim da Corte O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten
O Hofgarten, Jardim da Corte, possui inspiração no movimento renascentista italiano e foi construído entre 1613 e 1617, para compor a Residenz, cujo salão de festas tem sua face voltada para ele.

Foi destruído na Segunda Guerra e em sua reconstrução, apesar de plantas originais tenham sido usadas como base, recebeu influências inglesas. 

Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten e o Templo de Diana

Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana

Hofgarten ou Jardim da Corte O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten ou Jardim da Corte

Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana O que ver na Alemanha
Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana

Hofgarten ou Jardim da Corte O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten ou Jardim da Corte

Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana e um das fontes

Hofgarten ou Jardim da Corte O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten ou Jardim da Corte
Encontrei um jardim bonito, bem cuidado e carregado em tons de verde intenso, vivo e bem delineado, entrecortado aqui e acolá pelo vermelho forte das flores. A composição agradou aos meus olhos e principalmente aos meus sentidos: meu espírito rapidamente relaxou.

No centro dele está o Templo de Diana, a deusa caçadora. Uma espécie de coreto, onde crianças brincavam e corriam, quando lá estivemos. Quatro fontes dispostas de maneira simétrica completavam o cenário.

No topo do Templo de Diana está a escultura de Tellus Bavarica, a personificação feminina da Baviera, e por extensão a representação de sua força e glória.

Haus der Kunst O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst

Haus der Kunst O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst no detalhe

Haus der Kunst O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst - exposições temporárias de arte conteporânea

Haus der Kunst O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst e seus belos lustres

Haus der Kunst O que ver em Munque Alemanha
Um momento antes de entrar no Haus der Kunst

Haus der Kunst - O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst - inteior: foyer e loja no canto esquerdo
Fomos então ao Haus der Kunst, localizado no lado sul do Englischer Garten, na Prinzregentenstraßeu, museu dedicado a explorar as variadas formas de arte contemporânea baseadas em pesquisas e educação.

O edifício foi construído entre 1933 e 1937, quando então foi inaugurado, como a primeira representação monumental do Terceiro Reich, denominado "A Casa da Arte Alemã", transformando-se em um poderoso instrumento da propaganda nazista. Desde o fim dos anos 40, o Haus der Kunst é uma instituição de exibição de arte.

Em 1939, vários atores usando trajes históricos e carros alegóricos desfilaram por horas pela Prinzregentenstraßeu para Hitler e o alto escalão nazista, pela celebração dos 2.000 anos da cultura germânica.

O prédio tem um enorme peso histórico. Ele é sóbrio, encorpado e sólido, com formas retas e tonalidade parda, a cor nazi. Como único e lindo adorno externo possui lustres incríveis.

Havia algumas exposições temporárias (pagas) interessantes acontecendo distribuídas pelas salas, inclusive de artistas brasileiros. Já estava quase fechando quando chegamos, então visitamos apenas o foyer e a loja, com itens criativos e atraentes. 

Haus der Kunst e o banheiro original O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst e o banheiro original

Haus der Kunst e o banheiro original O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst e o banheiro original

Haus der Kunst e o banheiro original O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst e o banheiro original

Haus der Kunst e o banheiro original O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst e o banheiro original

Haus der Kunst e o banheiro original O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst e o banheiro original
Aproveitei para ir ao banheiro, onde tive uma deliciosa surpresa: ele era inteiramente original, construído junto com o Haus der Kunst. Uma beleza!

Como estava sozinha, me deixei demorar um bocadinho, mexendo em todos os preciosos detalhes. Pena que havia um aviso informando que em 2017 ele seria reformado e modernizado. Pensei em me sentar na porta e protestar: não façam isso! Preservem sua antiguidade!

O Englischer Garten e o rio Eisbach O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten e o rio Eisbach

O Englischer Garten  O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 
Depois de mais um passeio pelos ecos do cruel nazismo, fomos visitar o Englischer Garten, o Jardim Inglês, com seus pouco mais de 4 km² de muito verde, lagos, fontes e estruturas interessantes, no meio de Munique, onde antes eram pântanos

O Englischer Garten, como é conhecido o Karl-Theodor-Park com objetivo de atender a todos os moradores de Munique e não somente a aristocracia, foi ideia de um norte americano que vivia na Baviera em fins do século XVIII. O jardim foi inaugurado em 1808. 

O Englischer Garten O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 

O Englischer Garten  O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 

O Englischer Garten  O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten  e as pessoas 

O Englischer Garten O que ver em Munique Alemanha
Os habitantes do Englischer Garten 

O Englischer Garten O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten e os namorados - eles passaram horas namorando um ao outro e as flores
A temperatura estava agradavelmente fria naquele fim de Junho, mesmo já sendo verão. Havia pouca gente no parque e quase nenhum turista. Vimos crianças brincando com seus pais, casais de namorados passeando ou sentados nos bancos, gente pedalando, correndo ou preguiçosamente largados nos gramados. Coelhos brincavam entre as plantas.

Nós caminhamos sem rumo, deixando que nossos instintos marcassem o ritmo. O silêncio transbordava, vindo de todos os espaços, sendo entrecortado muito de vez em quando por um riso, um girar de bicicleta, um fiapo de conversa, um correr de água. 

O Englischer Garten O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 

O Englischer Garten O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 

O Englischer Garten  O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 

O Englischer Garten  O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 
Como estávamos no Haus der Kunst, entramos no jardim pelo lado sul. Andamos as margens do rio Eisbach, um rio artificial de mais ou menos 2 kms que desemboca no rio Isar. Há um trecho com ondas onde a galera pega onda.

Como o Englischer Garten é muito grande, o dia começava a dizer adeus e a fome começou a dar sinais de vida não vimos os surfistas, nem a famosa torre chinesa, muito menos a Monopteros, um templo em estilo neoclássico, a casa de chá japonesa, tampouco o biergarten.

Tudo bem, não tem problema, pois um dia eu volto para explorar mais intimamente a capital da Baviera.

35 milli(m)eter Onde comer em Munique Alemanha
Um brinde a um dia perfeito em Munique

35 milli(m)eter Onde comer em Munique
Massa com cogumelos no 35 milli(m)eter

35 milli(m)eter Onde comer em Munique
Currywurst no 35 milli(m)eter

35 milli(m)eter Onde comer em Munique Alemanha
35 milli(m)eter
Voltamos pelo mesmo caminho até o Hofgarten e seguimos então em direção ao Ibis Hotel, onde estávamos hospedados, buscando um lugar para comer. Tudo que encontramos pelo caminho estava fechado, parecendo Munique uma cidade pequena onde aos domingos as pessoas dormem cedo. Até que encontramos o 35 milli(m)eter na Bayerstr. 3-5: cheio e animado, resolvemos entrar.

Barzinho informal, barulhento e amplo. Eu escolhi uma currywurst (salsichas com curry) com batatas fritas e Léo escolheu uma massa com cogumelos. Estavam ambos muito bons. O cardápio tinha burgers e outros pratos também e os preços variavam de 6 a 15 euros mais ou menos.

As garçonetes que nos atenderam não falavam inglês, mas entre mímicas, simpatia e paciência conseguimos nos comunicar e nos entender. Assim encerramos a nossa tarde em Munique.