quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Führerbau e a CASA PARDA: 3° REICH, o que VER em MUNIQUE, Alemanha:

Führerbau Universidade de Música e Artes de Munique O que ver em Munique, Alemanha, nazismo

Saindo da Königsplatz chegamos ao Führerbau, uma estrutura severa, monocromática, lembrando uma grande caixa com janelas por todos os lados. O que falta em beleza e encanto neste prédio, sobra em importância e bagagem histórica.

Führerbau, em tradução livre, Construção do Líder, é o edifício principal da Universidade de Música e Artes de Munique (Hochschule für Musik und Theater München, Arcisstraße 12), desde 1957. Ele foi construído pelo Partido Nazista entre 1934 e 1937 para ser imponente e poderoso, mais uma representação de prestígio e supremacia. 

O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique O que ver em Munique Alemanha nazismo
O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique - linhas retas

O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique O que ver em Munique Alemanha nazismo
O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique: sobriedade

O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique O que ver em Munique Alemanha Nazismo
Uma das faces do O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique

O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique O que ver em Munique Alemanha nazismo
O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique
Durante os festejos anuais do Putsch da Cervejaria (1923), Hitler fazia a inspeção da parada comemorativa, que acontecia na Königsplatz daqui, de uma sacada. Por algum tempo, Rudolf Hess teve escritório no Führerbau.

Foi nesse edifício que os Primeiros Ministros: Neville Chamberlain - britânico, Èdouard Daladier - francês, e Benito Mussolini - italiano, além de Adolf Hitler assinaram em Setembro de 1938, o Tratado de Munique, onde os Sudetos (parte da Tchecoslováquia) foram, arbitrariamente, concedidos à Alemanha.

Os países tentaram, com essa manobra, evitar a guerra. Winston Churchill teria dito sobre esse acordo e sobre Chamberlain "Entre a desonra e a guerra, escolheste a desonra, e terás a guerra”. Ele estava certo.

Durante a Segunda Guerra, o Führerbau foi usado para guardar as obras de arte que Hitler roubava dos museus de países que a Alemanha invadia. Ele acreditava que dessa forma, ao matar a cultura de um povo, poderia reescrever a história do mundo, criando um novo enredo que pudesse atender aos seus interesses de dominação.

Sua intenção era levar essas obras para Linz, Áustria, cidade onde foi criado, e construir o Führermuseum para hospedar o espólio ou parte dele. Depois da guerra o exército americano tratou de devolvê-las aos seus donos de origem. Recentemente, no entanto, mais de mil dessas obras foram encontradas em Munique, possivelmente roubadas ou confiscadas de judeus durante a guerra.

O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique O que ver em Munique Alemanha Nazismo
O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique - recepção

O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique O que ver em Munique Alemanha nazismo
O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique - lustre

O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique O que ver em Munique Alemanha nazismo
O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique - olhos compridos para o interior

O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique O que ver em Munique Alemanha nazismo
O antigo Führerbau e a atual Universidade de Música e Artes de Munique - o interior
Hoje, esse prédio que foi palco de pedaços das estratégias de terror dos nacional-socialistas, espalha música, acordes que rompem as linhas retas e rígidas do antigo Führerbau e se espalham pelo ar, em ondas crescentes.

O passado do edifício não é ignorado, ao contrário é reconhecido. Ele existe. É fato. Entretanto, os estudantes de música de muitas partes do mundo que estudam nessa Universidade estão, através de sua arte, exorcizando esse passado umbrífero, contribuindo para a promoção da paz.

Quando alcançamos o Führerbau lindos sons encheram nossos ouvidos, belas melodias que renovaram as nossas esperanças de construção coletiva de um mundo de paz. Ainda que o caminho para tanto seja longo e áspero, curvo e difícil.

Só pudemos visitar a entrada principal, a recepção, que possui um estupendo lustre: duro e austero, mas com suaves curvas, cujo conjunto me deleitou e fez sorrir. O interior da Universidade de Música é vedado aos olhos curiosos como os meus, cuja alma não produz arte, para não atrapalhar os espíritos que estão aprendendo a fazer.

O senhor que guardava o antigo Führerbau nos permitiu apenas olhar através de uma porta de vidro, onde colei meu nariz e espichei meus olhos buscando espiar o máximo de detalhes. Pareceu-me um lugar esplêndido por onde eu gostaria de ter passado alguns momentos, fuçando e descobrindo seus recantos.

Brienner Strasse, 34 - Centro de Documentação de Munique O que ver em Munique Alemanha Casa Parda
Brienner Strasse - a caminho da Casa Parda

Braunes Haus ou Casa Parda, antiga sede do Partido Nazista atual Centro de Documentação de Munique O que ver em Munique Alemanha
Brienner Strasse - a caminho da antiga Casa Parda, atual Centro de Documentação de Munique

Braunes Haus ou Casa Parda, antiga sede do Partido Nazista Centro de Documentação de Munique O que ver em Munique Alemanha
Braunes Haus ou Casa Parda, antiga sede do Partido Nazista atual Centro de Documentação de Munique

Braunes Haus Casa Parda Centro de Documentação O que ver em Munique Alemanha
Braunes Haus ou Casa Parda, antiga sede do Partido Nazista atual Centro de Documentação de Munique
A dois passos dali ficava a Casa Parda ou Braunes Haus, uma mansão na Brienner Straße 34, rua nobre de Munique, comprada por Hitler para ser sede do NSDAP – Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, bem ao gosto nazista, em 1930.

Na contramão da crise que assolava o país, o führer conseguiu levantar dinheiro, de maneira apenas especulada à época e nunca determinada, para adquirir a magnífica casa e demonstrar mais uma vez a importância do movimento que liderava.

À bem da verdade, a compra somente foi possível porque esse bairro onde outrora, famílias abastadas moravam, estava decadente desde o fim da Primeira Guerra.

Muitas reformas foram feitas na Braunes Haus, sendo inaugurada no ano seguinte. Nela, alguns membros da cúpula do partido e posteriormente do governo nacional-socialista, além do próprio Adolf Hitler, tiveram escritórios aqui. A suástica ornava a fachada.

Após a compra da Braunes Haus e da instalação da sede nazi, o NSDAP, começou a comprar mais e mais propriedades nessa área, muitas vezes exercendo forte pressão sobre os donos, sendo criado assim o quarteirão pardo, composto por 68 prédios e mais de 6.000 funcionários.

Em 1945 a Casa Parda foi completamente destruída. Em seu lugar hoje encontramos o Centro de Documentação de Munique, que conta a história do Nacional Socialismo, inaugurado em 2015, em um prédio com design moderno, bem diferente do estilo da antiga Casa Parda. Ele não foi o único que encontramos na Alemanha. O país criou centros como esse em várias cidades para contar, sob diversas óticas, com riqueza de detalhes, essa história.

Infelizmente, não foi possível visita-lo, por conta da falta de tempo, mas por causa de todos os outros que visitei na Alemanha, eu posso afirmar com toda a segurança que é um lugar que merece nossa atenção.