quinta-feira, 13 de abril de 2017

A COZINHA alemã na RENÂNIA do Norte-VESTFÁLIA, Alemanha:

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália, apesar de estar repleta das icônicas e típicas salsichas, difere bastante da gastronomia que encontramos na Baviera. Mesmo entre as cidades que visitamos nesta região, a culinária é distinta.

Claro, as salsichas estão por toda parte, mas elas são de muitos tipos e são preparadas de variadas maneiras, mudando completamente o sabor. Entretanto, descobrimos novos gostos e texturas perambulando pela comida na Renânia.

Por ser uma região que recebe e abriga muitos imigrantes a diversidade de opções é grande. É fácil, por exemplo, encontrar comida tailandesa e italiana em todo canto, principalmente em Colônia, assim como burgers de muitas constituições que parecem estar na moda, servidos com molhos diversos. 

A seguir alguns pratos que descobrimos na Renânia do Norte- Vestfália. 

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália
Currywurst

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália
Salsicha de cerveja à esquerda e de porco à direita

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália
salsichas variadas com salada de batatas e chucrute 
Salsichas - Wurst:

Na Baviera, elas são finíssimas e muito saborosas. Na Renânia elas seguem o padrão normal no quesito espessura e tamanho, mas são servidas de infinitas maneiras e confesso que todas as que experimentei me agradaram e muito.

Não só os restaurantes têm boas opções como algumas cidades, a exemplo de Colônia e Bonn, tem a alternativa das barraquinhas de rua e elas são igualmente deliciosas e muito consumidas pelos alemães. Algumas delas podem ser bem mais pesadas que outras.

Experimentamos wurst feita de cerveja, de porco com curry, uma de minhas preferidas (currywurst), de porco, vitela ou carne (bratwurst), dentre outras tantas, mas a variedade é imensa e é possível brincar de experimentar sabores.

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália
Schnitzel de porco com molho à parte de chilli e batatas cozidas. O limão é item obrigatório
Schnitzel:

Ofertados em muitos cardápios, o schnitzel é uma milanesa, geralmente com carne de porco ou vitela e acompanhamentos variados, dependendo do local, como por exemplo, batata frita ou salada de batatas.

As porções desse prato costumam ser absurdamente fartas e há lugares cujo cardápio só tem o schnitzel. Sempre que o experimentamos ele veio sequinho e muito crocante.

Dizem que a origem do schnitzel é grega. Na Idade Média comerciantes árabes teriam levado a iguaria para a Península Ibérica e posteriormente Itália, chegando a Áustria e Alemanha apenas no século XIX. 

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália
Spätzle com peito de peru

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália
Spätzle com presunto e queijo
Spätzle:

Massa alemã que, por causa de seu formato e tamanho, é chamado de pardalzinho. Os molhos e acompanhamentos são variados. A textura é muito particular e eu achei muito saborosa. Para falar a verdade, eu gostei imensamente do spätzle.

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália
Flammkuchen a bolognese

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália
Flammkuchen com queijo e salsicha
Flammkuchen:

A pizza alemã. Ela até se parece com a tradicional pizza italiana/brasileira, mas o sabor é muito diferente. Eu gostei muito. Sua origem é a Alsácia, na França, que fica na fronteira com a Alemanha.

Os recheios são variados: queijo de cabra ou ovelha, presunto serrano, salsicha, carne ou camarão. Entretanto o Flammkuchen  não leva queijo ou molho de tomate como itens básico e sim Crème Fraîche – um creme azedo é o item clássico. 

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália
Aachen: uma vitrine de printen
Printen:

Esse é um doce de textura consistente e gostoso D.O.C – Denominação de Origem Controlada, ou seja, só é produzido na cidade de Aachen e arredores. Os ingredientes usados – pimenta, cravo gengibre, canela – são conhecidos, mas a mistura e quantidades exatas são um segredo que atravessou gerações.

Sua origem estaria na Bélgica que tinham por tradição criar pastelaria com gravuras e migraram para a Aachen levando consigo sua arte lá pelo século XV. Por conta das especiarias utilizadas, já foi vendido como produto farmacêutico. Imaginem a delícia de ser tratado com printen!

Originalmente o printen era adoçado com mel, mas com as invasões napoleônicas e a dificuldade de encontrar o produto, por conta do embargo comercial com os Estados Unidos, proclamado por Napoleão, passou-se a usar açúcar de beterraba como alternativa e essa prática terminou alcançando nossos tempos. 

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália
Uma cerveja em Düsseldorf para aplacar a sede

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália
Cervejas na Alemanha

A cozinha alemã na Renânia do Norte-Vestfália
Em Colônia
Cervejas:

Eu não sou grande bebedora ou apreciadora de cerveja, mas com o calor feroz que pegamos na Renânia, elas foram uma ótima alternativa para aplacar a sede, até porque, ao contrário de mim, Léo as adora.

Comparando uma vez mais com a Baviera, achei as cervejas na Renânia mais amargas e servidas mais geladas. Outra diferença: na Baviera (Nuremberg e Munique) todos os lugares nos serviram em grandes canecas.

Já na Renânia elas vinham em tulipas, às vezes bem pequenas ou comprávamos em garrafa mesmo. Vi muitas pessoas andando nas ruas ou relaxando nos parques com garrafas grandes de cerveja, bebendo no gargalo.

Elas também variam de cidade para cidade. Por exemplo, a cerveja servida em Colônia é do tipo Kölsch, enquanto em Düsseldorf é Altbier.