terça-feira, 2 de maio de 2017

O Paço dos DUQUES, Guimarães, Portugal:

O Paço dos Duques

O Paço dos Duques está situado muito próximo à Igreja de São Miguel do Castelo e do Castelo de Guimarães, todos eles elevados sobre o Centro Histórico da cidade. Foi para lá que nos dirigimos após visitarmos estes dois últimos edifícios.

O Paço dos Duques de Bragança, nome completo deste belo prédio, foi construído no século XV por ordem de Dom Afonso, primeiro duque de Bragança, filho bastardo de D. João I, para servir de residência para sua segunda esposa Dona Constança de Noronha.

O Ducado de Bragança foi uma das casas mais poderosas de Portugal e a que mais terras acumulou, assim como alcançou muitos privilégios, perdendo em importância apenas para a família real. 

O Paço dos Duques
O Paço dos Duques

O Paço dos Duques
O pátio interno do Paço dos Duques
Durante a ditadura portuguesa do século XX, o Paço dos Duques foi reformado e transformado em residência oficial do Presidente Salazar. No século XIX virou quartel militar, assim permanecendo até a primeira metade do século seguinte. Em centúrias anteriores esteve abandonado, conhecendo a degradação.
A estrutura original, por conta de inúmeras pilhagens, é hoje desconhecida. As obras de reconstrução do Paço dos Duques, efetuadas no século passado, foram alvo de duras críticas por conta da escassa documentação existente a respeito do edifício primeiro. Os arquitetos poderiam apenas imaginar como ele era.
Os críticos que defendiam a manutenção do Paço dos Duques em ruínas acreditavam que qualquer coisa em outra direção seria atentar contra a verdade histórica, além de ofender a trajetória do mesmo, escondendo e ignorando os fatos vivenciados por ele desde que foi construído, que envolve glória e ruína. 
O Paço dos Duques
O pátio interno do Paço dos Duques

O Paço dos Duques
O pátio interno do Paço dos Duques
Apesar disso tudo, o Paço dos Duques é um prédio interessante e elegante, com suas chaminés (seriam 39, assim como 39 lareiras) sobressaindo-se na estrutura de formato quadrado e de exterior sóbrio, com forte ar de antiguidade. Hoje abriga um museu com objetos de variados séculos, prioritariamente XVII e XVIII, mas também do fim do período medieval. 

Distribuídas em 13 salas encontramos obras de arte, ou réplicas, incluindo tapeçaria, mobiliário e pinturas, além de objetos decorativos, que são relíquias e joias que contam a história do modo de vida português nos levando por anos e anos dentro do tempo.
O Paço dos Duques
Salão dos Passos Perdidos

O Paço dos Duques
Salão dos Passos Perdidos
Começamos nossa peregrinação pela sala I, chamada de Salão dos Passos Perdidos, onde as pessoas que queriam ter uma audiência com os duques aguardavam. O interessante nome se deve à longa espera nesta ampla sala. A decoração data dos séculos XVII e XVIII.

Duas enormes tapeçarias logo chamam nossa atenção. São réplicas, dominam o ambiente e narram a conquista do norte da África no século XV: “Desembarque” e o “Cerco”. 

O Paço dos Duques
Sala de Armas

O Paço dos Duques
Sala de Passagem

O Paço dos Duques
Sala de Banquete

O Paço dos Duques
Sala de Banquete

O Paço dos Duques
A louça da Sala de Banquete

O Paço dos Duques
Sala de Banquete
A partir daí entramos e saímos de ambientes, encontrando, por exemplo, a sala das armas do século XIX, a sala de passagem, ligação entre a sala dos Passos e a do Banquete. Aliás, esta última é estupenda!

Uma longuíssima mesa no centro do ambiente é uma reprodução de um exemplar do século XV, sobre cavaletes, com louças de estanho sobre elas. Além disso, na decoração do Salão do Banquete encontramos objetos de outros séculos.

A sala é fria e o que mais chamou a minha atenção foi o espetacular teto, em formato do casco invertido de uma caravela, em alusão às notáveis conquistas marítimas do grande Portugal. Lustres e janelas complementam o ambiente coroando seu caráter magnífico. 

O Paço dos Duques
O Paço dos Duques: o pátio interno a à esquerda e entrada da Capela

O Paço dos Duques
O Paço dos Duques - segundo piso

O Paço dos Duques
O Paço dos Duques

O Paço dos Duques
A Capela do Paço dos Duques

O Paço dos Duques
A Capela

O Paço dos Duques
A bela capela
No Paço dos Duques encontramos ainda uma belíssima capela, pequenina, toda em madeira, com vitrais, lustres e belo teto também em formato de barco virado do avesso. Quando lá estivemos, cantos gregorianos enchiam o ambiente, tornando-o sublime.

Sobre o pórtico da capela está o brasão do Duque de Bragança, em estilo gótico. Já os vitrais que ornam o seu interior são do século XX, obra do artista vimaranense Lino. Vemos ainda retábulos de madeira do século XVII e uma arca de feitio gótico, do século anterior.  

O Paço dos Duques
O Salão Nobre

O Paço dos Duques
Um dos dormitórios

O Paço dos Duques
Moveis e tapeçarias de variados séculos e origens como a flamenga

O Paço dos Duques
As escadarias do Paço dos Duques

O Paço dos Duques
O Paço dos Duques - vista da entrada da Capela no segundo piso

O Paço dos Duques
O Paço dos Duques
Passamos ainda pelo Salão Nobre, onde os Duques recebiam, maravilhoso com seu aspecto rústico, pelo menos assim afigurou-se aquele salão aos meus olhos de pessoa nascida no século XX, o que provavelmente não estaria de acordo com o olhar das pessoas da época da construção do Paço dos Duques e nem mesmo daquelas que viveram nos séculos seguintes.
Atravessamos a antecâmara, o quarto com uma cama do século XVI e muitas outras, onde vimos belos móveis, tapeçarias flamengas, pinturas, como a de Catarina de Bragança. Ainda passamos um tempo no pátio interno, olhando, observando.
Ficamos mais ou menos 1 hora correndo os diversos ambientes do Paço dos Duques e ao sairmos, voltamos ao Centro Histórico, a antiga Vila de Baixo, mais precisamente ao Largo da Misericórdia, para almoçarmos.
Ingressos:

Paço dos Duques + Castelo de Guimarães: 6,00€;
Paço dos Duques + Castelo de Guimarães + Museu de Alberto Sampaio: 8,00€;
Valores individuais: Castelo de Guimarães, 2€ e Paço dos Duques, 5€.

Horários:

Paço dos Duques de Bragança, Castelo de Guimarães e Igreja de S. Miguel: abertos todos os dias das 10.00 às 18.00, sendo a última admissão às 17.30.

Encerra nos seguintes feriados: 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio e 25 de Dezembro.

Você pode salvar este texto no seu Pinterest:


O Paço dos Duques