terça-feira, 6 de junho de 2017

Os TRENS suíços:

Os TRENS suíços

Passamos 15 dias rodando pela Suíça e nosso deslocamento entre as cidades foi feito exclusivamente por trem. Alguns bilhetes nós compramos ainda no Brasil pelo site da companhia suíça de trens SBB-CFF-FSS (Caminhos de Ferro Federais da Suíça) e outros nós deixamos para comprar lá. Os trens suíços são modernos e novos.

Eu amo viajar de trem e utilizar esse meio de transporte para viajar pela Suíça é muito simples e muito fácil! O país é absurda e maravilhosamente descomplicado. O único inconveniente é que, como tudo o mais no país, os bilhetes de trem também são caros. 

Os TRENS suíços
Estação de trem de Nyon

Os TRENS suíços
Na plataforma da Genève Cornavin esperando o trem para Berna

Os TRENS suíços
De Berna para Zurique: conforto e belas paisagens diante de minha janela

Os TRENS suíços
Tomando café da manhã entre os trechos Friburgo - Gruyère

Os TRENS suíços
A Estação Central de Trens (Hauptbahnhof) de Zurique
Eu já cantei aos quatro ventos o quanto eu adoro viajar de trem. Gosto de tudo o que envolve essa viagem. A facilidade na compra dos bilhetes, o fato de não precisar fazer check-in e assim poder chegar à estação apenas 20 ou 30 minutos antes do embarque, o que significa para mim ganho de tempo.

Gosto do conforto que a maioria deles oferece e da comodidade de poder comer, escrever, ler e observar as paisagens enquanto o trem desliza pelos trilhos. Gosto ainda de espiar os outros passageiros, moradores daquelas cidades. Há certo romantismo nas viagens de trem.

Gosto do frisson das estações, do vai e vem frenético de pessoas e trens que rapidamente chegam e partem. As estações da Suíça, mesmo nas cidades menores, estavam sempre cheias de gente, de muitos tipos e muitos estilos. Gosto de olhar o caminhar rápido, lento ou dos que correm porque chegaram muito em cima da hora.

Gosto, e muito, de tomar café da manhã nas estações e as da Suíça estão cheias de mercados e cafeterias para muitos gostos e bolsos. Bem, aqui as coisas também não são baratas, mas nada neste país é. Enquanto tomo meu café preto e forte e como meu croissant, me sinto parte daquilo tudo e esse sentimento faz-me imensamente feliz.

Gosto da facilidade de acordar um dia, decidir que quero gastar as próximas horas em outra cidade, ir até a estação, comprar o bilhete, chegar na plataforma, embarcar e descobrir outro lugar, outra energia. Simples, fácil e rápido. Como não amar?!

Gosto ainda de voltar cansada de qualquer lugar, entrar em um mercado dentro da estação, comprar uma garrafa de vinho, uma comida pronta ou sanduíche, colocar debaixo do braço e comer confortavelmente no hotel


A Suíça, por ser um país pequeno, tem distâncias curtas entre cidades o que facilita e torna ainda mais agradável as viagens de trem pelo país. Por termos ficado apenas nas partes francesa e alemã, não pegamos nenhum trem com tempo superior a 1 hora e 45 minutos. Como viajante, tempo é meu artigo mais caro, pois ele é escasso.

Os TRENS suíços
Trecho Zurique - Friburgo: agrupamento de quatro poltronas

Os TRENS suíços
Bagageiro disposto no início do vagão no trecho Friburgo - Lausanne

Os TRENS suíços
Da Gare Cornavin (Estação Central de Trens) para o Aeroporto - Genebra
Os trens suíços são excelentes! Eles variam de estrutura e tamanho, mas não perdem o estilo prático e cômodo. Encontramos cadeiras em grupos de dois e de quatro poltronas, com mesa compartilhada, cujas cadeiras estão viradas umas para as outras. 

Em alguns trens os bagageiros acima das poltronas são ótimos, em outros eles são minúsculos, não cabendo malas ou mochilas. Nesses casos, os passageiros se viram como podem. Não vi nenhum tipo de stress, cara feia ou incômodo causado pelas malas dos passageiros, mesmo entre aqueles que viajavam sem bagagem.

Entretanto, é preciso ter em mente que trens são espaços apertados e que malas gigantescas podem atrapalhar, e muito, os outros viajantes, além de não ter espaço para acomodá-las. Um pouco de elegância e respeito ao próximo sempre caem bem. Além disso, os trens entram e saem das plataformas em questão de poucos minutos. Como ser célere com malas enormes?!

Isso sem contar que, com malas pesadas, como acomodá-las acima das poltronas?! A demora ou impossibilidade de fazê-lo pode tumultuar e congestionar os apertados corredores dos trens suíços. 

Há soluções para acomodar as bagagens nos trens cujos espaços acima de nossas poltronas são pequenos: nos bagageiros coletivos que estão disponíveis em uma das extremidades de cada vagão ou nas poltronas vagas, caso o trem esteja vazio ou ainda em nossos pés, caso não atrapalhe o passageiro em frente. Cabe ao bom senso, e tamanho da mala de cada um, a decisão.

Quando diante da necessidade de acomodar as malas e mochilas nos bagageiros dispostos no início de cada vagão, é sempre bom ficar de olho, pois furtos existem em qualquer lugar do mundo. 

Os trens suíços possuem tomadas, mesas e janelões que nos permitem seguirmos viagem apreciando as belíssimas paisagens do país que vão descortinando-se à medida que o trem avança. Tem wi-fi gratuito também, mas é preciso ter um número de celular válido para que seja enviado um sms com um código. 

Em todas as viagens que nós fizemos pela Suíça, os trens estavam vazios e não tivemos problema algum em conseguir poltronas. Os trens suíços possuem assentos livres: não é possível marca-los. Além disso, eles possuem primeira e segunda classe e não percebi nenhuma diferença significativa entre ambas a não ser a diferença de preço. 

Ao contrário do que li e escutei antes de voar para a Suíça, os trens suíços atrasam. Isso aconteceu mais de uma vez o que colocou em xeque a tão alardeada pontualidade do país. Entretanto, contudo, todavia, nenhum atraso foi superior a 5 minutos. 

Os TRENS suíços
Trecho Genève-Bern e o belíssimo Lac Léman

Trecho Berna - Thun

Os TRENS suíços
Um lindo lugar entre Zurique e Friburgo

Os TRENS suíços
Estou vendo um cavalo alado
O caminho entre as cidades é invariavelmente lindo! Assistimos de nossas janelas a belos cenários que muitas vezes eu custava a acreditar que fossem reais. Sentia-me constantemente prestes a entrar em um Conto de Fadas. Esperava a qualquer momento ver passar uma princesa ou um ser encantado em um cavalo alado.

Entretanto, diferente do que eu pensava, os cenários variavam ao longo dos diversos trechos por onde passamos. A arquitetura, as cores, a disposição das casas, tudo mudava à medida que o trem avançava, acumulando quilômetros sobre trilhos. Eu estava apaixonada!

No trecho Genève-Bern, eu estava tão maravilhada registrando tudo com minha máquina, que um senhor suíço que trabalhava em seu note, parou o que estava fazendo para me observar divertido. Ainda brincou comigo quando deixamos o Lac Lèman para trás.

Que tal salvar este texto em seu Pinterest?


Os trens suíços