domingo, 28 de agosto de 2016

GRAN Hotel, NEUES Museum, Distrito da LUZ VERMELHA, Nuremberg, Alemanha:


Mais um dia que se inicia em Nuremberg e o sol levantou castigando. Estava muito quente. O café da manhã foi o mesmo de quase todos os dias: pretzel ementada (1,90 euros), meu preferido, que comemos caminhando pela rua, enquanto eu e a cidade acordávamos.


Gran Hotel em 1945

Gran Hotel - Le Meridien

Gran Hotel - Le Meridien
A primeira parada do dia foi em frente ao Gran Hotel, destruído durante a Segunda Guerra, sendo um dos primeiros grandes edifícios da cidade a serem restaurados.

Ele teve uma importância histórica muito grande, pois foi nele que os americanos responsáveis pelos Julgamentos de Nuremberg, militares e civis, hospedaram-se durante os meses que passaram na cidade, envolvidos com o julgamento dos líderes nazistas por crimes de guerra.

Antes disso, era no Gran Hotel que os participantes dos comícios nazistas que aconteceram muitas vezes em Nuremberg, ficavam hospedados.

Dizem que durante a noite ele resplandecia em meio à escuridão que tomava conta de Nuremberg, completamente arrasada, desfalecida, pois era o único prédio com luz elétrica.

Apesar da restauração, os hóspedes americanos precisaram conviver com uma estrutura um tanto quanto frágil e falta de segurança, pois havia o receio de um ataque da resistência nazi ou de moradores enfurecidos. Havia um bar, música e boa comida.

Por conta disso, às vezes o lugar parecia uma torre de babel, com muitas nacionalidades e profissões circulando pelo local.

Hoje funciona o hotel Le Meridien, mas em frente a ele, depois de ver imagens de Nuremberg envergada e alquebrada, pude imaginar o oásis que deve ter sido aquele hotel em 45, fervendo de pessoas, com todo o horror daquela guerra vindo à tona, mas ao mesmo tempo, com um novo e importante capítulo da história sendo escrito.


Neues Museum: fachada

Neues Museum

Neues Museum: design

Neues Museum: modernidade

O contraste entre o Neues Museum (Museu Novo) e as muralhas antigas da cidade
Do velho ao novo, fomos até o Neues Museum, inaugurado em 2000, com um design moderno, interessante e cheio de estilo. Carregado de vidro, o prédio não só está repleto de obras de arte, como é uma obra de arte em si mesmo.

O acervo conta com fotografias, esculturas e pinturas do século XX. Eu queria muito ter visitado, mas no final das contas, não tivemos tempo. Desculpa excelente para um dia voltarmos à Nuremberg.

O que mais chamou minha atenção, apreciando a fachada do museu foi o contraste que ele faz com as muralhas antigas da cidade. Eles convivem lado a lado formando um belo e fascinante cenário. 

E a temperatura foi subindo ainda mais ao longo do dia

Frauentormauer
O nosso objetivo nesse dia era visitar o Tribunal de Nuremberg, então seguimos em frente, passando pela Frauentormauer, o Distrito da Luz Vermelha, nos moldes de Amsterdam, Holanda, só que em minha opinião um pouco mais singular, surpreendente.

Talvez pelo inesperado da hora, talvez pela quantidade de moças expostas, talvez pela atitude delas em relação à nossa passagem: umas se expondo mais, outras se escondendo, algumas falavam ao celular, não sei ao certo, mas foram cenas inesperadas para mim, pois achei que o negócio só funcionasse à noite e não esperava ver tantas meninas nas janelas e vitrines.

Seja como for, há avisos indicando o local, proibindo fotos e menores de idade.