sexta-feira, 5 de setembro de 2014

CORRENDO até o Ahu VINAPU, Ilha de Páscoa, Chile



Resolvemos fazer um treino de corrida até o Ahu Vinapu. Não é fácil correr na ilha por causa dos fortes ventos e das ladeiras e tipo de terreno. E justamente por causa do desafio, foi tão legal. Levamos cerca de meia hora até chegar porque não é longe de Hanga Roa. Dá para ir caminhando sem problema algum. Fica no caminho para o aeroporto Mataveri e tem sinalização. 

Um café para acordar
Correndo até o ahu Vinapu

Correndo para Vina Pu - a placa à frente sinaliza o caminho
Foi um treino muito duro.
A vista de Vinapu é bonita, como todas na ilha. Chegamos em um lugar mais alto e fomos descendo em direção ao mar que batia nas pedras enquanto o dia ia acordando preguiçosamente. O contraste de cores dá o toque final naquela paisagem que parecia uma pintura.

Chegando em Vinapu já avistamos o mar: contraste de cores

Último e duro trecho

Valeu à pena: paisagem espetacular

O dia estava nascendo


Uma fenda que leva mais perto do mar
Explorando os recortes da Ilha de Páscoa

Explorando Vinapu
Nuvens baixas sobre os recortes da ilha

Nuvens baixas, sobre Vinapu

Vinapu tem características que o tornam interessantes: os moais aqui estão quebrados e caídos com a cara virada para o chão. Há ruínas parecidas com as encontradas nas cidades incas, o que leva a especulações do tipo: os rapa nui vieram das Américas e não da Polinésia? Os incas estiveram por aqui e se estabeleceu um breve intercâmbio? Além disso aqui também há um moai feminino, feito com a mesma pedra vermelha dos pukaos.

Moai feminino construído com a mesma pedra dos pukaos

O encaixe das pedras similar a dos incas

O moais caido 

A entrada para Vinapu

Rola a lenda que aqui era lugar de culto aos antepassados. 

De Vinapu voltamos correndo para tomar banho, café da manhã e começar o dia com visitas a outros lugares interessantes da ilha. Só que desta vez o meio de transporte escolhido foi a bicicleta. Tudo no próximo texto.