sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Mais alguns dias em MOSCOU: MAUSOLÉU DE LENIN e Shopping GUM, Russia:




Voltando para Moscou
Depois de três dias em Moscou fomos passar um tempo viajando por outras regiões e então voltamos para a capital russa para a última parte da viagem. Encontramos a cidade fria e chuvosa. Em compensação, a Praça Vermelha,  fechada quando chegamos ao país, estava finalmente aberta e lá foi o nosso destino do dia.

Praça Vermelha aberta fria e chuvosa

Praça Vermelha fria e chuvosa

Rodamos um pouco pela Praça Vermelha e seguimos para o Mausoléu de Lenin, onde o antigo líder do comunismo está embalsamado. A fila não estava muito longa, talvez a chuva tenha afastado os inúmeros turistas que costumam visitar o local. 

Guardas sisudos e jovens controlam o acesso e vão liberando as pessoas aos poucos.

                                                                                        Fila para visitar o Mausoléu de Lenin

Bustos de antigos líderes soviéticos

Acesso ao Mausoléu de Lenin: a chuva parece ter afastado os turistas

Durante o percurso até a entrada do mausoléu há bustos de antigos lideres soviéticos e as fotos são permitidas. Dentro do mausoléu entramos em fila indiana, fotos não são permitidas e nem pensar em parar para olhar melhor o Lenin. Guardas garantem que você não pare e nem volte. 

O corpo do ditador embalsamado parece um boneco de cera, muito branco, muito pálido, em uma tumba de granito negro, com luzes que deixam o ambiente com um ar de morbidez, sem ser necessariamente assustador.

Entrada Gratuita. Ter a Quin, Sab e Dom - 10:00 às 13:00.

A bela Praça Vermelha
Praça Vermelha com a fachada do GUM ao lado direito da imagem

GUM visto do último piso



O GUM e suas pontes

GUM

De antigo centro de abastecimento nos tempos soviéticos a sofisticado shopping center em uma das áreas mais famosas da capital russa: a Red Square. Realmente uma mudança radical. A estrutura do shopping GUM (Gosudarstvenny Universalny Magazin) é linda: a luz, as cores, as pequenas pontes. 

Em algumas pontes há mesas onde é possível tomar uma cerveja. Há restaurantes mais acessíveis aos bolsos e outros mais caros. Quem gosta de moda e de sofisticação vai se deliciar.

No térreo há charmosos quiosques de sorvete (não gostei do sorvete russo. Tem gosto de nada!). Há banheiros públicos, claro, mas há um específico, mais decorado, que é pago. Vale o tour para quem gosta de ver coisas bonitas com pegada antiga. 

O GUM (10:00 às 22:00.) é uma parada quase obrigatória para quem está na região.

Calçadão Nikolskaya: vista do GUM à esquerda, Kremlin ao fundo e Kazan Cathdral ao lado direito: colorido

Almoçamos no GUM e reservamos a tarde para entrar no Kremlin.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

CATEDRAL DO CRISTO SALVADOR e mais algumas coisinhas, MOSCOU, Russia:

Tivemos a sorte de pegar dias lindos em Moscou. A temperatura estava agradável, em torno dos 18 graus com céu muito azul e sem nuvens. 

Quando saímos da casa de Gogol, seguimos calmamente em direção à Catedral do Cristo Salvador ( ulitsa Volkhonka, 15) inaugurada em 1883.

Pelo caminho havia interessantes esculturas. Havia interessantes esculturas pelo caminho

Passarelas não tão interessantes pelo caminho mas que dão identidade à cidade

Já que não há pressa, uma parada para um cafezinho
Olhe no mapa e descubra qual o seu caminho até a Catedral. No nosso, nos deparamos com esta interessante escultura de cavalos afogando-se como se estivessem em uma batalha, passagens arborizadas, passarelas e uma cafeteria. Já que não havia pressa, paramos para um cafezinho.

Como gosto de café com adoçante, tive uma certa dificuldade neste quesito. Cheguei a tirar uma foto de um adoçante para mostrar sempre que houvesse necessidade, mas percebi que muitos achavam que estava pedindo aquela marca específica. Com um pouco de mímica e insistência, às vezes conseguia o que queria. Em outras não tive outra opção a não ser desistir.

A Catedral do Cristo Salvador em toda a sua singela beleza
Detalhe de uma das duas cúpulas douradas
Quando chegamos à bela Catedral branquinha, com sua cinco cúpulas douradas, que fica às margens do Rio Moscou, passava um pouco das 17 horas. Não havia muito movimento na entrada e nem no entorno. A entrada é gratuita. Temos que passar por um detector de metais e por uma revista de bolsas/mochilas.

O interior desta Igreja Ortodoxa Russa é um dos mais bonitos que eu já vi em um templo religioso. Ela é clara e não é opressiva. Ao contrário, nos inspira com tantos sublimes afrescos. O da cúpula principal nos dá a sensação de que estamos de fato olhando para o céu e de que os anjos estão nos mandando muitas energias poderosas e positivas. 

Tivemos a sorte de estar começando uma missa. Eu não sou religiosa, mas tenho uma profunda curiosidade por rituais. Estou acostumada a ver as praticas religiosas da Igreja Católica Romana e foi com muito interesse que observei as diferenças (que são muitas) entre cultos de uma e outra igreja. Sugiro que você inclua em sua agenda assistir a uma missa na linda Igreja do Cristo Salvador. E muita atenção ao dress code: nada de decotes, bermudas e afins. Moças, se puderem, coloquem um lenço na cabeça, em sinal de respeito aos fieis daquela igreja.

Não é permitido tirar fotos, embora tenha visto muita gente desrespeitar as regras. Aí vale a consciência de cada um. O que é mais importante? O respeito ao outro ou a lembrança através de uma foto?

A Catedral do Cristo Salvador vista da ponte Patriarshy
Esta igreja tem uma curiosa história. Ela foi construída entre 1839 e 1860 para comemorar a vitória russa sobre Napoleão, mas foi destruída por Stalin que pretendia erguer ali o Palácio dos Soviéticos, com uma estátua de Lenin. Durante anos o local foi uma enorme piscina, até que em 1997 a Catedral do Cristo Salvador foi reproduzida a tempo de comemorar o aniversário de 857 anos da cidade de Moscou.

A Catedral do Cristo Salvador vista da ponte Patriarshy
Quando sair da Catedral localize um quiosque onde é possível experimentar salgados e doces russos.

Seguimos para a Ponte do Patriarca. Ela estava bem cheia e é linda de uma forma retrô. Dela podemos ver a Catedral do Cristo Salvador, o Kremlin e ainda a estátua de Pedro, o Grande. 

Ponte Patriarca

Kremlin visto da Ponte Patriarca

Estátua de Pedro, o Grande, ao fundo visto da Ponte Patriarca
Pedro, o grande
Fomos em direção à estátua de Pedro, o Grande, concebida para comemorar os 300 anos da marinha russa (1998), iniciada pelo Czar. Ela é enorme com seus 94 m de altura. É imponente como quase tudo que refere-se aos czares. Pode até não ser exatamente bonita, mas impressiona. 

Antiga fábrica de chocolates, atual complexo de restaurantes

Rio Moscou com o complexo de restaurantes e a estátua de Pedro, o grande ao fundo
Nos arredores está um complexo de restaurantes e clubes noturnos. Quando passamos por lá já havia algum movimento, mas ainda fraco, possivelmente pelo horário, cerca de 19 horas. O local era uma antiga fábrica de chocolates e havia um contraste muito interessante entre luxo e decadência. 

Trem transiberiano
Nesta noite tomamos o trem transiberiano e passamos alguns dias visitando outras cidades e depois voltamos para gastar mais dois dias em Moscou. Para nossa imensa felicidade encontramos a Praça Vermelha aberta e descobrimos outros locais bacanas da cidade.