terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

E por fim, o KREMLIN, a FORTALEZA, o centro do PODER RUSSO, em MOSCOU!


Pela manha visitamos o Mausoléu de Lenin e após o almoço, no Shopping GUM, fomos visitar o Kremlin. Os jardins bem cuidados de Moscou são uma alegria para os olhos. A capital russa estava fria e chuvosa. Já era outono no país quando voltamos da Sibéria.




The Trinity Tower, uma das entradas para o Kremlin

Kremlin
Kremlin significa fortaleza e é o símbolo do poder russo. Aqui trabalha Wladimir Putin, presidente da Russia e no passado Ivan, o terrível, Lenin, Stalin, Khrushchev e Gorbachev, entre outros, comandaram os rumos do país. Foi daqui que Napoleão Bonaparte viu Moscou queimar, em uma estratégia de guerra dos russos. Este lugar representa 800 anos de história. E por conta disso eu estava muito ansiosa por nossa tarde visitando o Kremlin.

O Arsenal

The State Kremlin Palace

Praça das Catedrais
Formada por diversos prédios como o estatal e o arsenal, de linhas clássicas e quadradas, da praça das catedrais (composta pelas Catedrais da Assunção, da Anunciação, do Arcanjo e a Igreja do Manto Sagrado de Nossa Senhora) e do belíssimo jardim com vista para o rio moscou, além do Armoury Chamber, o Kremlin, como não podia deixar de ser, é muito vigiado e não podemos circular por todos os lugares e nem entrar em todos os edifícios.

A beleza da fortaleza russa com a Igreja Assunção ao fundo

Catedral do Arcanjo

Catedral da Assunção

Catedral da Anunciação
Entramos na Catedral da Assunção, da Anunciação e do Arcanjo. Todas elas guardam características similares, mas ao mesmo tempo cada uma delas tem uma identidade própria, uma alma. 

Elas são pequeninas com as paredes e tetos cobertos de afrescos contando histórias religiosas e originando um colorido intenso. Tem muita informação nestas catedrais ortodoxas russas e é preciso um certo tempo para ler algumas destas histórias.

Eu sentei em um dos poucos bancos disponíveis para tentar assimilar cada um dos detalhes de todo aquele colorido. Tive a ajuda de um folheto que fica disponível na entrada das catedrais.

Assim fiquei sabendo que a catedral da Assunção já foi o templo principal do estado russo e que aqui Ivan, o terrível casou-se com Anastasia Románova. Ele está enterrado na Catedral do Arcanjo que é linda, toda branquinha por fora e é dedicada ao arcanjo Miguel, patrono do exército russo. Na Catedral da Anunciação, onde o interior é um dos mais bonitos, com tonalidades de azul quebrando a intensidade do dourado, aconteciam as cerimônias domésticas e familiares dos czares. 

Todas as catedrais são antigas, muito antigas, datam lá do século XV, mais ou menos.

Portinha secreta
Ao sair da Catedral da Assunção, vire à esquerda e procure pela portinha da foto acima. Ela passa despercebida para a maioria das pessoas. Ali, um pequeno tesouro russos dos séculos XV a XVII estão expostos. Este local era uma pequena igreja.

Termômetro capaz de marcar as incríveis baixíssimas temperaturas do inverno russo 



O canhão do czar

O sino do Czar
O Kremlin ainda possui outros símbolos além das catedrais como o termômetro que marca as baixíssimas temperaturas do inverno russo que já ganhou guerras, o canhão do czar, de 40 toneladas que nunca foi usado por ser pesado demais, e o sino do czar que tem uma história interessante: ainda hoje ele é considerado o maior sino do mundo com 202 toneladas. Houve um incêndio em 1701 e o sino que ocupava o campanário, que pesava 130 toneladas caiu e ficou destruído. Com seus restos foi construído o sino do czar em 1730, para a czarina Anna Ioanovna. No entanto, quando foi colocado na água para resfriar, rachou e tornou-se inútil. Na foto acima, é possível ver a "pequena" rachadura.

Os jardins do Kremlin

Vista do Rio Moscou pelos jardins do Kremlin

As cores dos jardins do Kremlin

Árvore "nevada"
Os jardins do Kremlin 

Os coloridos jardins do Kremlin
Os jardins do Kremlin são muito bonitos e tem uma vista ampla do rio Moscou. Tem muitas flores de cores diversas e árvores que parecem cheias de neve, mas que só nasceram assim. O Kremlin não foi bem o que eu esperava. Acho que depois de conhecer tantos símbolos russos e observar neles tanta imponência, as linhas sóbrias da fortaleza me deixaram um pouco decepcionada. A minha sugestão para driblar este sentimento é começar a conhecer a Russia pelo seu centro de poder.

E foi nos jardins do Kremlin que nós encerramos o dia em Moscou. O penúltimo dia na cidade.

Informações adicionais:
  • os ingressos para entrar no Kremlin e no Armoury Chamber são independentes e ambos podem ser comprados na bilheteria central;
  • o valor para admissão no Kremlin foi é de 350 rublos e funciona de sexta à quarta das 09:30 às 17:00.
  • é proibido tirar fotos dentro das igrejas. Eu vi pessoas ignorando, tirando fotos e recebendo reprimendas das vigias.