domingo, 30 de outubro de 2016

O HOFGARTEN (Jardim da Corte), o Haus der Kunst e o nazismo, além do ENGLISCHER Garten, o que VER em MUNIQUE, Alemanha:

Hofgarten Residenz O que ver em Munique Alemanha

Depois de observarmos e absorvermos a Odeonsplatz e tentarmos, apenas tentarmos, imaginar o que não deve ter sido o confronto entre policiais e nazistas durante o fracassado Golpe da Cervejaria, cuja violência de ambos os lados deu o tom daquele momento histórico, nós seguimos em direção ao Hofgarten para renovar as forças misturados à natureza. 

Hofgarten O que ver em Munique Alemanha
Cenas cotidianas

Residenz O que ver em Munique Alemanha
Residenz

Hofgarten ou Jardim da Corte O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten
O Hofgarten, Jardim da Corte, possui inspiração no movimento renascentista italiano e foi construído entre 1613 e 1617, para compor a Residenz, cujo salão de festas tem sua face voltada para ele.

Foi destruído na Segunda Guerra e em sua reconstrução, apesar de plantas originais tenham sido usadas como base, recebeu influências inglesas. 

Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten e o Templo de Diana

Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana

Hofgarten ou Jardim da Corte O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten ou Jardim da Corte

Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana O que ver na Alemanha
Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana

Hofgarten ou Jardim da Corte O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten ou Jardim da Corte

Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten ou Jardim da Corte e o Templo de Diana e um das fontes

Hofgarten ou Jardim da Corte O que ver em Munique Alemanha
Hofgarten ou Jardim da Corte
Encontrei um jardim bonito, bem cuidado e carregado em tons de verde intenso, vivo e bem delineado, entrecortado aqui e acolá pelo vermelho forte das flores. A composição agradou aos meus olhos e principalmente aos meus sentidos: meu espírito rapidamente relaxou.

No centro dele está o Templo de Diana, a deusa caçadora. Uma espécie de coreto, onde crianças brincavam e corriam, quando lá estivemos. Quatro fontes dispostas de maneira simétrica completavam o cenário.

No topo do Templo de Diana está a escultura de Tellus Bavarica, a personificação feminina da Baviera, e por extensão a representação de sua força e glória.

Haus der Kunst O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst

Haus der Kunst O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst no detalhe

Haus der Kunst O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst - exposições temporárias de arte conteporânea

Haus der Kunst O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst e seus belos lustres

Haus der Kunst O que ver em Munque Alemanha
Um momento antes de entrar no Haus der Kunst

Haus der Kunst - O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst - inteior: foyer e loja no canto esquerdo
Fomos então ao Haus der Kunst, localizado no lado sul do Englischer Garten, na Prinzregentenstraßeu, museu dedicado a explorar as variadas formas de arte contemporânea baseadas em pesquisas e educação.

O edifício foi construído entre 1933 e 1937, quando então foi inaugurado, como a primeira representação monumental do Terceiro Reich, denominado "A Casa da Arte Alemã", transformando-se em um poderoso instrumento da propaganda nazista. Desde o fim dos anos 40, o Haus der Kunst é uma instituição de exibição de arte.

Em 1939, vários atores usando trajes históricos e carros alegóricos desfilaram por horas pela Prinzregentenstraßeu para Hitler e o alto escalão nazista, pela celebração dos 2.000 anos da cultura germânica.

O prédio tem um enorme peso histórico. Ele é sóbrio, encorpado e sólido, com formas retas e tonalidade parda, a cor nazi. Como único e lindo adorno externo possui lustres incríveis.

Havia algumas exposições temporárias (pagas) interessantes acontecendo distribuídas pelas salas, inclusive de artistas brasileiros. Já estava quase fechando quando chegamos, então visitamos apenas o foyer e a loja, com itens criativos e atraentes. 

Haus der Kunst e o banheiro original O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst e o banheiro original

Haus der Kunst e o banheiro original O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst e o banheiro original

Haus der Kunst e o banheiro original O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst e o banheiro original

Haus der Kunst e o banheiro original O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst e o banheiro original

Haus der Kunst e o banheiro original O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst e o banheiro original
Aproveitei para ir ao banheiro, onde tive uma deliciosa surpresa: ele era inteiramente original, construído junto com o Haus der Kunst. Uma beleza!

Como estava sozinha, me deixei demorar um bocadinho, mexendo em todos os preciosos detalhes. Pena que havia um aviso informando que em 2017 ele seria reformado e modernizado. Pensei em me sentar na porta e protestar: não façam isso! Preservem sua antiguidade!

O Englischer Garten e o rio Eisbach O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten e o rio Eisbach

O Englischer Garten  O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 
Depois de mais um passeio pelos ecos do cruel nazismo, fomos visitar o Englischer Garten, o Jardim Inglês, com seus pouco mais de 4 km² de muito verde, lagos, fontes e estruturas interessantes, no meio de Munique, onde antes eram pântanos

O Englischer Garten, como é conhecido o Karl-Theodor-Park com objetivo de atender a todos os moradores de Munique e não somente a aristocracia, foi ideia de um norte americano que vivia na Baviera em fins do século XVIII. O jardim foi inaugurado em 1808. 

O Englischer Garten O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 

O Englischer Garten  O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 

O Englischer Garten  O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten  e as pessoas 

O Englischer Garten O que ver em Munique Alemanha
Os habitantes do Englischer Garten 

O Englischer Garten O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten e os namorados - eles passaram horas namorando um ao outro e as flores
A temperatura estava agradavelmente fria naquele fim de Junho, mesmo já sendo verão. Havia pouca gente no parque e quase nenhum turista. Vimos crianças brincando com seus pais, casais de namorados passeando ou sentados nos bancos, gente pedalando, correndo ou preguiçosamente largados nos gramados. Coelhos brincavam entre as plantas.

Nós caminhamos sem rumo, deixando que nossos instintos marcassem o ritmo. O silêncio transbordava, vindo de todos os espaços, sendo entrecortado muito de vez em quando por um riso, um girar de bicicleta, um fiapo de conversa, um correr de água. 

O Englischer Garten O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 

O Englischer Garten O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 

O Englischer Garten  O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 

O Englischer Garten  O que ver em Munique Alemanha
O Englischer Garten 
Como estávamos no Haus der Kunst, entramos no jardim pelo lado sul. Andamos as margens do rio Eisbach, um rio artificial de mais ou menos 2 kms que desemboca no rio Isar. Há um trecho com ondas onde a galera pega onda.

Como o Englischer Garten é muito grande, o dia começava a dizer adeus e a fome começou a dar sinais de vida não vimos os surfistas, nem a famosa torre chinesa, muito menos a Monopteros, um templo em estilo neoclássico, a casa de chá japonesa, tampouco o biergarten.

Tudo bem, não tem problema, pois um dia eu volto para explorar mais intimamente a capital da Baviera.

35 milli(m)eter Onde comer em Munique Alemanha
Um brinde a um dia perfeito em Munique

35 milli(m)eter Onde comer em Munique
Massa com cogumelos no 35 milli(m)eter

35 milli(m)eter Onde comer em Munique
Currywurst no 35 milli(m)eter

35 milli(m)eter Onde comer em Munique Alemanha
35 milli(m)eter
Voltamos pelo mesmo caminho até o Hofgarten e seguimos então em direção ao Ibis Hotel, onde estávamos hospedados, buscando um lugar para comer. Tudo que encontramos pelo caminho estava fechado, parecendo Munique uma cidade pequena onde aos domingos as pessoas dormem cedo. Até que encontramos o 35 milli(m)eter na Bayerstr. 3-5: cheio e animado, resolvemos entrar.

Barzinho informal, barulhento e amplo. Eu escolhi uma currywurst (salsichas com curry) com batatas fritas e Léo escolheu uma massa com cogumelos. Estavam ambos muito bons. O cardápio tinha burgers e outros pratos também e os preços variavam de 6 a 15 euros mais ou menos.

As garçonetes que nos atenderam não falavam inglês, mas entre mímicas, simpatia e paciência conseguimos nos comunicar e nos entender. Assim encerramos a nossa tarde em Munique. 

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

O FELDHERRNHALLE na ODEONSPLATZ e suas histórias, o que VER em MUNIQUE, Alemanha:

Feldherrnhalle na Odeonsplatz O que ver em Munique Alemanha
Feldherrnhalle na Odeonsplatz

Feldherrnhalle na Odeonsplatz O que ver em Munique Alemanha
Feldherrnhalle na Odeonsplatz - escultura que homenageia os soldados da guerra Franco-Prussiana
Em frente à Residenz, em um dos lados da Residenzstraße, está a Odeonsplatz, uma praça simples, quadrada, sendo o Feldherrnhalle o seu principal adorno. Ele foi construído no século XIX, à imagem e semelhança da Loggia dei Lanzi que fica na Piazza della Signoria, coração de Florença, Itália.

O Feldherrnhalle é um monumento aos heróis da Baviera e abriga estátuas de líderes militares e uma escultura central que homenageia os soldados da guerra Franco-Prussiana (1870-1871). Ela lembra bravura e conquista. A construção é guardada por dois leões. 

O Golpe da Cervejaria no Feldherrnhalle na Odeonsplatz O que ver em Munique Alemanha
A Odeonsplatz com o Feldherrnhalle ao fundo e a Residenz do lado esquerdo

Feldherrnhalle na Odeonsplatz O que ver em Munique Alemanha
Feldherrnhalle na Odeonsplatz
Entretanto, apesar de não ser uma praça especialmente charmosa ou atraente, parecendo até sem graça, a despeito do Feldherrnhalle, a Odeonsplatz carrega o peso de um capítulo negro da história bávara, pois aqui foi o palco do desfecho do famoso Golpe da Cervejaria, que aconteceu em Novembro de 1923.

Eis o acontecimento: tudo começou na cervejaria Bürgerbräukeller, uma das mais tradicionais da cidade, fundada em 1885, onde Hitler desencadeou uma tentativa de golpe.  

O Golpe da Cervejaria Odeonsplatz O que ver em Munique Alemanha
Feldherrnhalle na Odeonsplatz - Golpe da Cervejaria aconteceu aqui

Hitler e O Golpe da Cervejaria no Feldherrnhalle na Odeonsplatz O que ver em Munique Alemanha
A Odeonsplatz vista do Feldherrnhalle 

Ludwigstrasse vista da Odeonsplatz Hitler O que ver em Munique
Ludwigstrasse vista da Odeonsplatz
Na noite de 8 de Novembro acontecia ali um evento político promovido pelo ditador da Baviera, Gustav von Kahr, para mais de mil pessoas. Pouco depois da chegada de Hitler ao evento, a SA – Divisão de Assalto do NSDAP: Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, fortemente armada, com granadas inclusive, cercou a cervejaria.

Lá dentro, Hitler anunciou que o prédio estava cercado e a Revolução havia sido iniciada. O objetivo era derrubar o governo em Berlim e assumir o poder no país. Hermann Göring para acalmar a agitação que tomou conta das pessoas que participavam da cerimônia, teria dito alguma coisa como “Ora, ora, senhoras e senhores, vocês tem suas cervejas!”

No entanto, o que apaziguou de fato o ânimo das pessoas presentes na cervejaria, foi o discurso de Hitler, que era indubitavelmente um excelente orador, sendo aclamadíssimo pela audiência.

Enquanto o governo e o Exército bávaros começavam a montar a estratégia de reação ao golpe, com a polícia e o Exército sitiando Munique, Hitler decidiu que a SA marcharia pela manhã pelas ruas para demonstrar o sucesso da Revolução.

Detalhe: a essa altura os membros da tropa de choque nazista estavam bêbados ou de ressaca por terem passado a noite em cervejarias esperando as ordens das ações seguintes.

Hitler e cerca de 2000 homens passaram pela Marienplatz em direção à Ludwigstrasse e no caminho várias pessoas foram se juntando à marcha. Para acessar a referida rua, os nazistas tinham que passar pelo Feldherrnhalle.

Resumo da ópera: os nacional socialistas ao chegarem à Odeonsplatz, pela Residenzstraße, se depararam com um tanque de guerra e a polícia fortemente armada. O que se viu em seguida foi confronto direto, com muitos tiros, pancadaria e confusão, um verdadeiro campo de batalha, que deixou um saldo de 20 mortos (16 do lado Nazi), dezenas de feridos e muita destruição.

Feldherrnhalle na Odeonsplatz - Golpe da Cervejaria aconteceu aqui Nazismo O que ver em Munique
Feldherrnhalle na Odeonsplatz - Golpe da Cervejaria aconteceu aqui
O Putsch da Cervejaria foi reprimido. Hitler foi protegido por seus comparsas e saiu da batalha com apenas um leve ferimento no braço. Ele foi preso dois dias após o embate e julgado três meses depois, onde ele próprio fez sua defesa, o que virou um discurso político no tribunal. Há quem afirme que o julgamento todo foi uma grande farsa.

Hitler recebeu a sentença de cinco anos de prisão, com direito a redução de pena por bom comportamento. Durante o tempo que ficou preso, pouco mais de um ano, desfrutou de muito conforto e regalias. Dez anos depois do Golpe da Cervejaria, Adolf Hitler chegaria ao poder e a continuação dessa triste história todos nós já sabemos.

Uma última informação: em 2 de Agosto de 1914, uma multidão reuniu-se na Odeonsplatz em uma manifestação em favor da Primeira Guerra Mundial.

Para relaxar depois de relembrarmos os momentos de violência promovidos pelos rudes e agressivos nazistas, fomos passear pelo belo e agradável Hofgarten: fotos e fatos sobre o Jardim da Corte na próxima publicação. 

terça-feira, 25 de outubro de 2016

O TEATRO Nacional de Munique (Nationaltheater München), a Max-Joseph Platz, a RESIDENZ, e a Residenzstraße, o que VER em MUNIQUE, Alemanha:

O Teatro Nacional de Munique O que ver em Munique, Alemanha
O Teatro Nacional de Munique
Quando saímos da cervejaria Wirtshaus Ayingers, refeitos da caminhada, fomos até o Teatro Nacional de Munique - Nationaltheater München, a casa da Ópera e do Ballet da Baviera.

Inaugurado em 1818, por Maximiliano I, rei da Baviera, foi consumido pelo fogo em 1823 e reinaugurado, baseado em outro projeto, dois anos depois. Desde então muitas óperas famosas como Tristão e Isolda, de Richard Wagner, foram encenadas aqui.

O Teatro Nacional de Munique O que ver em Munique, Alemanha
O Teatro Nacional de Munique

O Teatro Nacional de Munique O que ver em Munique, Alemanha
O Teatro Nacional de Munique - linhas clássicas

O Teatro Nacional de Munique O que fazer em Munique, Alemanha
O Teatro Nacional de Munique

O Teatro Nacional de Munique O que fazer em Munique, Alemanha
O Teatro Nacional de Munique - lateral
O teatro sucumbiu sob as bombas durante a Segunda Guerra Mundial e foi refeito segundo as plantas do original, aquele que havia sido engolido pelo fogo. Suas atividades artísticas foram reiniciadas em 1963, com a ópera “Os Mestres Cantores de Nuremberg”, também de Wagner.

O teatro é clássico e tradicional e carrega com ele uma elegância natural de quem sabe a importância e beleza que o caracterizam.

Infelizmente quando ali estivemos não havia função no teatro e não pude assistir a nenhum espetáculo. Além disso, estava sendo preparado para um evento e nem ao menos pudemos entrar no foyer. Mais um motivo para voltarmos à Munique qualquer dia desses. 

Max-Joseph Platz O que ver em Munique, Alemanha
Estátua de Max-Joseph - Rei da Baviera, com o O Teatro Nacional de Munique ao fundo: Max-Joseph Platz

Max-Joseph Platz O que ver em Munique Alemanha
Max-Joseph Platz
O Nationaltheater München está localizado na Max-Joseph Platz, que foi construída, junto com o teatro. No meio dela está uma escultura de Maximiliano I que não queria ser eternizado na posição sentado e por isso mesmo, somente em 1835 a estátua foi revelada.

A praça, em formato circular, não tem nada demais, é simples com pedras irregulares e cheia de charme dentro dessa simplicidade. O teatro está situado no lado leste.

No lado sul nós podemos ver os arcos do antigo Palais Toerring-Jettenbach inspirado no  Ospedale degli Innocenti de Florença. Hoje funcionam aqui, entre outras coisas, um elegante e sofisticado café e a loja Louis Vuitton

Residenz Max-Joseph Platz O que ver em Munique, Alemanha
Königsbau – Ala do Rei da Residenz na Max-Joseph Platz

A Residenz na Max-Joseph Platz O que ver em Munique, Alemanha
Königsbau – Ala do Rei da Residenz na Max-Joseph Platz
No norte da praça está a Königsbau – Ala do Rei da Residenz, antiga residência dos reis da Baviera, cuja fachada foi feita à imagem e semelhança, a pedido do rei Ludwig I, do Palazzo Pitti de Florença. É idêntico!

Hoje a Residenz abriga um museu. Ao longo dos séculos foi submetida a diversas modificações e ampliações pelos reis da Baviera, sofrendo com isso influência de vários estilos arquitetônicos, facilmente percebidos.

Na Residenzstraße, rua que fica a oeste da praça está outra parte da fachada da Residenz, a chamada Maximilianische Residenz - Residência de Maximiliano. 

Residenz O que ver em Munique, Alemanha
Os leões da Residenz

Residenz O que ver em Munique, Alemanha
Residenz - O que ver em Munique
Em frente à Residência de Maximiliano, há leões verdes segurando uma espécie de escudo, cuja base contém leões menores. Além de guardarem a antiga residência real, guardam lendas.

Uma delas dá conta de que passar a mão em seu focinho, que depois de tantos anos sendo alisado já está dourado, nos traz sorte. Não se sabe bem de onde vem este mito, mas há quem diga que tudo começou com um estudante que desafiou o rei Ludwig I e a vida desregrada que ele levava, escrevendo uma carta o criticando.

O tal estudante foi preso por sua ousadia e, não se sabe exatamente como, impressionou o rei que o mandou soltar. Inebriado de felicidade, o moço tocou o focinho dos leõezinhos e desde então se acredita que dá sorte.

São quatro leões no total e há ainda quem diga que cada um deles tem a capacidade de realizar desejos para quem passa a mão em seu focinho: um deles pode nos trazer amor, o outro riqueza, o terceiro, saúde e por fim prosperidade. Os especialistas dizem que só podemos escolher três deles. Quem for guloso e pedir as quatro graças, perderá todas. 

Residenzstraße Max-Joseph Platz O que ver em Munique Alemanha
Os prédios coloridos da Residenzstraße

A arquitetura da Residenzstraße O que ver em Munique, Alemanha
A belíssima arquitetura da Residenzstraße

A Residenzstraße O que ver em Munique Alemanha
A  Residenzstraße e todo o seu charme

Odeonsplatz O que ver em Munique Alemanha
Odeonsplatz
Residenzstraße, levemente sinuosa é composta por uma arquitetura colorida suavemente e assimétrica, com maravilhosas janelas trabalhadas nos detalhes. Os edifícios, coladinhos uns nos outros, hoje abrigam lojas elegantes e restaurantes como Bucherer, Chloè e Bogner, além da Spatenhaus.  

Ao final dela, em frente à Residenz, está a Odeonsplatz, ligada a história da NSDAP (Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães) e marcada por manifestações e acontecimentos violentos.