segunda-feira, 21 de novembro de 2016

PARAÍSO TROPICAL, onde COMER em SALVADOR, Bahia:

Paraíso Tropical Onde comer em Salvador Bahia Brasil
O Paraíso Tropical - fachada

Paraíso Tropical Onde comer em Salvador
Paraíso Tropical - ambiente agradável

Paraíso Tropical Onde comer em Salvador
Paraíso Tropical - atendimento muito simpático
O Paraíso Tropical virou o queridinho de turistas e baianos em Salvador. O restaurante funciona em uma agradabilíssima casa de dois andares, arborizada e está quase sempre cheio. O atendimento costuma ser simpático.

Sempre que vou lá tenho a sensação que os funcionários adoram estar ali. Eles são garotos propaganda do variado e interessantíssimo cardápio que definitivamente nos faz ter a certeza que estamos em um paraíso onde o pecado da gula não só é permitido, como incentivado. 

A base deste excitante cardápio é a forte e poderosa gastronomia baiana, que mexe com sentidos que nem sabíamos possuir. Ninguém fica indiferente a esta cozinha!

O chef e dono do lugar, o singular e cordial Beto Pimentel, que podemos ver circulando entres as mesas, jogando conversa fora com os clientes (habituel e ilustres desconhecidos), colocou uma pitadinha aqui, uma porção ali de criatividade, tornando pratos que já eram maravilhosos, em alguma coisa próxima ao divino.

É necessário estar preparado, pois não vejo como um almoço no Paraíso Tropical não nos brindar com muitos quilos a mais. Na verdade, quem se importa?

Paraíso Tropical Onde comer em Salvador
Paraíso Tropical - casquinha de siri de entrada, acompanhado de farofa de manteiga

Paraíso Tropical Onde comer em Salvador Bahia Brasil
Dandá de Camarão do Paraíso Tropical

Paraíso Tropical Onde comer em Salvador Bahia Brasil
Paraíso Tropical
No cardápio encontramos estrelas dessa culinária colorida e extremamente aromática como as moquecas (reinventadas, claro), mas eu sugiro como entrada as casquinhas que vem fartas e acompanhadas de farofa de manteiga e uma pimenta da melhor qualidade, com tons de ardor distintos, e muito sabor. Comem duas pessoas tranquilamente.

Como prato principal eu proponho se jogar de corpo, alma e coração no Dandá de Camarão e pode ajoelhar e agradecer aos céus pela oportunidade de provar esta delícia. Embora o cardápio indique que é um prato para duas pessoas, quatro indivíduos gulosos comem fartamente. Principalmente se tiveram pedido entradas.

Outra opção interessante é o Arroz de Nabucetê, mas este comem duas pessoas mesmo, como indica o cardápio. 

Paraíso Tropical Onde comer em Salvador Bahia Brasil
Suco de manga com côco frozen
A sessão de sucos é um escândalo. Feitos com frutas da época, colhidas no quintal do restaurante, é um manifesto de cores e puro sabor. No momento em que o suco inunda nosso paladar, entramos em comunhão com a natureza. Não duvide e se entregue a este prazer. 

Os sucos são servidos de duas formas: líquidos e tradicionais e na forma de sorvete (frozen - R$15,00). O de manga com coco me faz chorar de júbilo. Além disso, com as frutas são feitos drinques. 

Paraíso Tropical Onde comer em Salvador Bahia Brasil
Frutas da estação: doces e saborosas. Cortesia da casa
Quando a gente pensa que nenhuma refeição poderia ser mais perfeita, eis que um dos simpáticos garçons aparece com pratos cheios de frutas doces e coloridas: cortesia da casa!

Endereço: Rua Edgard Loureiro, 98 - B – Cabula.
Telefone: 3384-7464 

domingo, 13 de novembro de 2016

MUNIQUE em poucas PALAVRAS:



Munique, como muitas cidades alemãs, é velha, muito velha. Sua origem nos leva até a segunda metade do século XII. De lá para cá, a capital da Baviera e uma das maiores cidades da Alemanha, foi protagonista de muitas histórias. Ela foi destruída e reconstruída, por causas distintas, inúmeras vezes.

O que encontramos hoje é uma cidade alvoroçada e animada, que se move entre o passado e a modernidade, entupida de gente de todo o mundo ansiosa por desfrutá-la, que se mistura à população local, num movimento constante de ir, vir, respirar, beber, comer, fotografar, falar, rir, conversar, aquecendo-a.

A seguir, Munique em poucas palavras: 


Edifícios e estruturas:

Munique tem edifícios e estruturas extraordinárias. Entretanto, o que mais atrai são as memórias guardadas por trás de suas paredes. Dificilmente encontraremos um prédio em Munique brando, pálido, sem que esteja ligado a fatos históricos e lendas. Estes são alguns deles:

Old Justizpalast Munique Baviera Alemanha O que ver
Old Justizpalast
Old e New Justizpalast – são os prédios da justiça da Baviera. O edifício velho abriga o Departamento Bávaro de Justiça e a Corte Distrital I de Munique, enquanto no novo, que foi construído logo após a finalização do primeiro, estão a Corte Constitucional da Baviera e a Suprema Corte Regional. O primeiro é do ano de 1890, enquanto o segundo nos leva ao ano de 1905.

O prédio mais velho guarda uma crônica de sangue e injustiça: nele, os irmãos Sophie e Hans Scholl foram condenados pelos nazistas e posteriormente guilhotinados pela Gestapo por fazerem parte do Movimento Rosa Branca, em 1943, uma resistência pacífica à Segunda Guerra Mundial e à Hitler a quem consideravam megalomaníaco.

Karlstor O que ver em Munique Alemanha
Karlstor
Karlstor - o Portão de Carlos é uma réplica simplificada da antiga fortaleza medieval que foi destruída durante a Segunda Guerra, sendo ele, a porta de entrada para a cidade antiga. Leva o nome de um dos antigos príncipes eleitores, Carlos Teodoro. 

Aí estão os três músicos crianças colocados no Karlstor em memória de Herbert Jensen (1900-1968), arquiteto e diretor de planejamento da cidade, que propôs a criação de uma zona peatonal: Neuhauser Straße, para onde o portão dá acesso. Originalmente, os meninos músicos ficavam na fonte dos peixes da Marienplatz

O que ver em Munique Alemanha
O prédio do Münchener Post na Altheimer Eck em Munique
O Münchener Post foi uma publicação que circulou em Munique e fez ferrenha oposição a Adolf Hitler e o NSDAP - Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, durante 13 anos, entre 1920 e 1933, quando então foi completamente destruído pela S.A. – as Tropas de Assalto do partido.

Hitler, que odiava o jornal, o apelidou de cozinha venenosa, utilizando-se de um jargão jornalístico que dizia que as notícias eram cozidas.

O Münchener funcionava em um bonito prédio art nouveau, que sobreviveu aos bombardeios da Segunda Guerra, situado na Altheimer Eck, onde hoje ainda podemos encontra-lo.

O livro “Cozinha Venenosa”, da jornalista brasileira Silvia Bittencourt conta em detalhes a história do jornal bávaro e através das notícias publicadas nele, dos anos que antecederam a Segunda Guerra. 
Alter Hof O que ver em Munique Alemanha
Alter Hof
Alter Hof - em um dos lados da Altenhofstraße está a Corte Velha, antiga residência imperial de Luís IV da Baviera (1282 – 1347), Imperador do Sacro Império Romano-Germânico, Duque da Baviera e algumas coisinhas mais, até o século XV, quando por motivos de segurança, a corte mudou-se para outro endereço. 

Essa foi a primeira residência fixa de um Imperador do Sacro Império, mas há indícios de que desde o século XII, o castelo já existia. Nesses tempos havia uma capela, hoje morta, que abrigou a Regalia Imperial. 

Muito danificado durante a Segunda Guerra, somente parte dele foi reconstruído. O Burgstock, uma das partes que compunha o castelo, é patrimônio histórico, onde está alojado o museu central (domingo não funciona).

É possível enxergar uma janela saliente gótica, por onde, segundo reza a lenda um macaco do zoológico real teria sequestrado o pequeno Luís da Baviera, devolvendo-o mais tarde são e salvo. 
Haus der Kunst O que ver em Munique Alemanha
Haus der Kunst

Haus der Kunst - museu dedicado a explorar as variadas formas de arte contemporânea.

O edifício foi construído entre 1933 e 1937, quando então foi inaugurado, como a primeira representação monumental do Terceiro Reich, denominado "A Casa da Arte Alemã", transformando-se em um poderoso instrumento da propaganda nazista. 
Em 1939, vários atores usando trajes históricos e carros alegóricos desfilaram por horas pela Prinzregentenstraßeu para Hitler e o alto escalão nazista, pela celebração dos 2.000 anos da cultura germânica.


Führerbau Universidade de Música de Munique, O que ver em Munique Alemanha
Führerbau
O Führerbau (Construção do Líder): é o edifício principal da Universidade de Música e Artes de Munique (Hochschule für Musik und Theater München), localizado na Arcisstraße 12, desde 1957. Ele foi construído pelo Partido Nazista entre 1934 e 1937.

Durante os festejos anuais do Putsch da Cervejaria (1923), Hitler fazia a inspeção da parada comemorativa, que acontecia na Königsplatz daí, de uma sacada e foi nesse edifício que os Primeiros Ministros: Neville Chamberlain - britânico, Èdouard Daladier - francês, e Benito Mussolini - italiano, além de Adolf Hitler assinaram em Setembro de 1938, o Tratado de Munique, onde os Sudetos (parte da Tchecoslováquia) foram, arbitrariamente, concedidos à Alemanha. 

Os países tentaram, com essa manobra, evitar a guerra. Winston Churchill teria dito sobre esse acordo e sobre Chamberlain "Entre a desonra e a guerra, escolheste a desonra, e terás a guerra”. Ele estava certo. 


Durante a Segunda Guerra, o Führerbau foi usado para guardar as obras de arte que Hitler roubava dos museus de países que a Alemanha invadia.

Braunes Haus (Casa Parda) O que ver em Munique Alemanha Nazismo
Braunes Haus (Casa Parda)
Braunes Haus (Casa Parda): uma mansão na Brienner Straße 34, comprada por Hitler para ser sede do NSDAP em 1930. 

Na contramão da crise que assolava o país, o führer conseguiu levantar dinheiro, de maneira apenas especulada à época e nunca determinada, para adquirir a magnífica casa e demonstrar mais uma vez a importância do movimento que liderava. 

À bem da verdade, a compra somente foi possível porque esse bairro onde outrora, famílias abastadas moravam, estava decadente desde o fim da Primeira Guerra. 

Em 1945 a Casa Parda foi completamente destruída. Em seu lugar hoje encontramos o Centro de Documentação de Munique, que conta a história do Nacional Socialismo, inaugurado em 2015, em um prédio com design moderno.

Igrejas:

As igrejas em Munique têm estilos, idades e histórias distintas. Algumas carregam beleza, outras, simplicidade. Umas passam despercebidas e outras nos enchem de encantos. Todas, entretanto, merecem respeito por fazerem parte dos racontos da cidade e da vida de pessoas que por ali estiveram antes de nós.

Michaelskirche - Igreja de São Miguel O que ver em Munique Alemanha
Michaelskirche - Igreja de São Miguel
Michaelskirche a Igreja de São Miguel está situada na Neuhauser Straße e foi construída em 1585; possui uma fachada em estilo renascentista com camadas brancas que fazem lembrar uma árvore de Natal. A igreja original, a que foi construída nesse distante século, era menor e mais acanhada que a atual.

Centro espiritual da Contrarreforma – reação da igreja Católica à Reforma iniciada por Lutero – esta igreja carrega, entre as duas entradas principais, uma estátua do arcanjo Miguel lutando contra o mal da humanidade e defendendo a fé.

Na fachada é possível ver ainda, estátuas de antigos governantes da dinastia Wittelsbach da Baviera, que prestaram serviços relevantes ao bem-estar das pessoas no país. As maçanetas da porta são dois anjos em postura de oração.

Por dentro, ela é soberba e ampla. Uma curiosidade: não há pilares sustentando a igreja que foi parcialmente destruída por bombardeios durante a Segunda Guerra Mundial.


O que ver em Munique Alemanha Igrejas
Frauenkirche - Igreja de Nossa Senhora
Frauenkirche a Igreja de Nossa Senhora é um dos símbolos de Munique, com suas duas torres gêmeas, usando chapéus esverdeados, que podem ser vistas de muitos pontos da cidade.  


Construída em 1468 em estilo gótico, levou 20 anos para ser concluída. O plano inicial era fazer torres semelhantes a da Catedral de Colônia, o que não foi possível pela falta de recursos. Assim, em 1525 a Igreja de Nossa Senhora ganhou as cúpulas atuais. 
Por dentro ela não tem nada de extraordinário, mas possui uma interessantíssima fábula, tornando essa igreja extremamente atraente. 
A lenda fala de quando o diabo foi enganado pelo arquiteto da igreja, achando que a mesma não tinha janelas, quando em verdade, elas estavam apenas escondidas pelas colunatas. 
Quando descobriu a farsa já era tarde demais e furioso transformou a si mesmo em uma ventania com intenção de colocar o prédio abaixo, mas falhou e até hoje é possível ouvir o vento que corre uivando entre as torres.
O que ver em Munique Alemanha igrejas
Peterskirche
Peterskirche é bonita. Possui um teto enrugado enfeitado por lindos afrescos em tons pastel. Ela é a igreja mais antiga de Munique com sua construção datando do século XI, tendo sido ampliada e modificada muitas vezes.

É permitido subir até a torre de mais de 90 metros, onde, tem-se uma vista da cidade de 360 graus. Para ter acesso, o valente interessado terá que encarar mais de 300 degraus, lembrando que ao estilo medieval. 

É possível visitar a torre de segunda-feira a sexta-feira entre as 9:00 e as 18:30, e sábados e domingos entre as 10:00 e as 18:30. O valor do ingresso é de 2,00 euros para adultos e para crianças e estudantes custa 1,00 euro.

O que ver em Munique Alemanha
Heilig-Geist Kirche - Igreja do Espírito Santo 
Heilig-Geist Kirche - a Igreja do Espírito Santo foi construída no século XIII, em estilo gótico, sendo ela, naqueles anos, a Igreja Paroquial do Hospital que levava o mesmo nome: Hospital do Espírito Santo. 

No século XIV um incêndio destruiu o hospital, assim como a Katharinenkapelle, como então a igreja se chamava. Foi a partir daí que ela ganhou esse estilo gótico que vemos hoje. 

Praças:
Munique tem algumas praças muito charmosas, repletas de elementos interessantes, bonitos e acumulados de secular poeira.

Karlsplatz  Karlstor Munique O que ver na Alemanha
Karlsplatz com o Karlstor ao fundo
Karlsplatz - Praça de Carlos ou Stachus para os íntimos possui formato circular e uma fonte no centro que faz a alegria de moradores e turistas, especialmente das crianças, com suas águas que jorram de tempos em tempos. Ela recebeu o nome oficial em fins do século XVIII e hoje é uma mistura de informações.
Do lado esquerdo da praça, para quem segue em direção ao centro, encontramos o prédio semicircular da Osram, marca local de lâmpadas que sofreu muito na Segunda Guerra Mundial: seus maquinários foram roubados, laboratórios destruídos, projetos e pesquisas foram perdidos por conta de bombardeios e incêndios. Na fachada podemos ler: Hell Wie Der Lichte Tag – Tão Brilhante Como o Dia.
A praça é ponto de encontro entre os moradores de Munique e passagem para a Neuhauser Straße, cujo acesso se dá através do Karlstor.


Marienplatz - a Praça de Maria é o lugar mais emblemático de Munique, onde bate o coração da cidade. Já na Idade Média aqui acontecia o mercado de sal e milho.

Pela Marienplatz circulam milhares de turistas todos os anos e nela é possível ver edifícios e estruturas de aspectos distintos.

Por exemplo, a Neues Rathaus - a Nova Prefeitura de Munique, em estilo gótico, incomum e datando de fins do século XIX, tendo levado pouco mais de 30 anos para ser concluída, cuja fachada de 100 metros possui muitas figuras, de príncipes eleitores, santos e personagens míticas. 

Diariamente às 11:00 e às 12:00, acontece o espetáculo do carrilhão (Glockenspiel) , que fica na torre de 85 metros da Nova Prefeitura, sendo que no verão ele se movimenta também às 17 horas, variando de 10 a 15 minutos dependendo da música tocada naquele dia. Ele é composto por 43 sinos e 32 figuras. 
Quando a música começa, o carrilhão conta duas histórias do século XVI: na parte superior mostra o casamento do Duque Guilherme V com Renate de Lorraine e na metade inferior mostra os tanoeiros (Schäfflertanz), fabricantes de barris, dançando, após a epidemia de peste para mostrar vitalidade, lealdade ao duque e sua autoridade e para espantar o medo. 

Na Marienplatz está também Mariensäule, a Torre de Maria, considerada o marco zero da cidade. Ela foi construída a mando de Maximiliano I em comemoração à expulsão das tropas suecas da região, durante a guerra dos 30 anos, no século XVII. Feita em bronze e pintada de ouro, ela carrega o menino Jesus.

Fischbrunnen, Fonte dos Peixes é cercada de lendas, mitos e rituais. Na Idade Média, quando na Praça de Maria funcionava um mercado, a fonte era usada para manter os peixes de rio vivos. 

Mais tarde foi usada para encharcar jovens aprendizes de açougueiro em um ritual. No entanto, a história mais interessante que envolve a Fischbrunnen é a que diz que mergulhar uma bolsa vazia nas águas da fonte durante a quarta-feira de cinzas traz fartura. 

Por fim, da Marienplatz, é possível ver a Altes Rathaus, cujo prédio que datava do século XIV, foi muito danificado por bombardeios durante a Segunda Guerra Mundial, sendo reconstruída após o fim do conflito. Apesar de sua aparência gótica antiga, a velha prefeitura é nova. A torre atualmente abriga o Museu dos Brinquedos.

Max-Joseph Platz O que ver em Munique Alemanha
Max-Joseph Platz
Max-Joseph PlatzA praça foi construída na primeira metade do século XIX, a mando de Maximiliano I, cuja estátua esta no meio dela, em frente ao Teatro Nacional de Munique - Nationaltheater München, a casa da Ópera e do Ballet da Baviera. 

O teatro foi consumido pelo fogo em 1823 e reinaugurado, baseado em outro projeto, dois anos depois. Desde então muitas óperas famosas como Tristão e Isolda, de Richard Wagner, foram encenadas aqui.

Sucumbiu sob as bombas durante a Segunda Guerra Mundial e foi refeito segundo as plantas do original, aquele que havia sido engolido pelo fogo. Suas atividades artísticas foram reiniciadas em 1963, com a óperaOs Mestres Cantores de Nuremberg”, também de Wagner. 

No lado sul da praça pode-se ver os arcos do antigo Palais Toerring-Jettenbach inspirado no  Ospedale degli Innocenti de Florença. Hoje funcionam aqui, entre outras coisas, um elegante e sofisticado café e a loja Louis Vuitton

No norte da praça está a Königsbau – Ala do Rei da Residenz, antiga residência dos reis da Baviera, cuja fachada foi feita à imagem e semelhança, a pedido do rei Ludwig I, do Palazzo Pitti de Florença. Hoje a Residenz abriga um museu. 

O que ver em Munique Alemanha Odeonsplatz Putsch da Cervejaria
Odeonsplatz com o Feldherrnhalleao fundo e a Residenz do lado esquerdo.

Odeonsplatz - esta praça foi palco de momentos históricos importantes do país, como por exemplo, uma manifestação em Agosto de 1914, em favor da Primeira Guerra Mundial e o Putsch da Cervejaria, onde Hitler tentou dar um golpe e tomar o poder na Alemanha, em Novembro de 1923, que culminaria com um confronto entre seguidores do futuro Fürher e forças do Estado, deixando 20 mortos.

Ao fundo da Odeonsplatz está o Feldherrnhalle, construído no século XIX, inspirado na Loggia dei Lanzi que fica na Piazza della Signoria, coração de Florença, Itália. É um monumento aos heróis da Baviera e abriga estátuas de líderes militares e uma escultura central que homenageia os soldados da guerra Franco-Prussiana (1870-1871). 

No lado esquerdo da praça está uma das faces da Residenz chamada Maximilianische Residenz ou Residência de Maximiliano. Em frente a ela, há leões verdes segurando uma espécie de escudo, cuja base contém leões menores. Além de guardarem a antiga residência real, guardam lendas. 

Uma delas dá conta de que passar a mão em seu focinho nos traz sorte. Não se sabe bem de onde vem este mito, mas há quem diga que tudo começou com um estudante que desafiou o rei Ludwig I e a vida desregrada que ele levava, escrevendo uma carta o criticando. 

O tal estudante foi preso por sua ousadia e, não se sabe exatamente como, impressionou o rei que o mandou soltar. Inebriado de felicidade, o moço tocou o focinho dos leõezinhos e desde então se acredita que dá sorte. 

São quatro leões no total e cada um deles, além de proporcionar sorte, teria o dom de levar benefícios para quem passa a mão em seu focinho: um deles pode nos trazer amor, o outro riqueza, o terceiro, saúde e por fim prosperidade. Os especialistas dizem que só podemos escolher três deles. Quem for guloso e pedir as quatro graças, perderá todas.

Königsplatz O que ver em Munique Alemanha Nazismo
Königsplatz
Königsplatz - a Praça do Rei é uma área ampla de óbvia inspiração grega, construída a mando do rei Ludwig I, localizada no bairro Kunstareal ou Bairro da Arte, pois está repleto de museus. 

Atualmente, ela guarda tesouros greco-romanos, que estão abrigados em grandes edifícios-museus, abertos à visitação: o Propyläen, o Glyptothek e o Staatliche Antikensammlungen.

Na era nazista, a Königsplatz foi transformada no Fórum do Movimento, o que significa que era o principal local de culto nazi.

Dois Templos de Honra foram erguidos a mando de Hitler, com o cuidado de combinar com os edifícios que já existiam, e foram usados para glorificar o fracassado Golpe da Cervejaria. 

Para tanto, sarcófagos contendo corpos dos 16 nazistas que morreram no confronto com a polícia na Odeonsplatz, considerados mártires do movimento, foram colocados nos templos. Ambos foram destruídos pelo exército americano, em 1947, mas as plataformas continuam por ali.

Na Glyptothek, Hitler discursou. Na Königsplatz, dois meses após o NSDAP subir ao poder, estudantes nazistas queimaram livros considerados não germânicos: a maioria deles escritos por autores judeus. 

Os nazistas organizaram muitos comícios e marchas na Königsplatz, incluindo a comemoração anual do aniversário do Putsch da Cervejaria. 

Karolinenplatz O que ver em Munique Alemanha
Karolinenplatz
Karolinenplatz - é uma bonita praça em formato circular com um obelisco de 29 metros no centro que homenageia os bávaros mortos na guerra de Napoleão, quando lutaram lado a lado contra os russos em 1812.

Posteriormente, entre 1813 e 1814 os bávaros lutaram contra os franceses por sua libertação. O obelisco representa os dois lados da relação entre Baviera e França.

Na era nazista, aqui ficava a casa onde funcionava a Suprema Corte do NSDAP, para julgar e resolver questões internas do partido. 

Praça das Vítimas do Nacional Socialismo O que ver em Munique Alemanha
Praça das Vítimas do Nacional Socialismo


  
Praça das Vítimas do Nacional Socialismo, com uma estrutura pesada, negra e sua chama eterna, uma homenagem a todos os homens, mulheres e crianças que sofreram em mãos nazistas, além de ser um lembrete de tudo o que aconteceu, para que a humanidade não repita tamanha atrocidade. 







Parques:

Hof Garten - Jardim da Corte O que ver em Munique Alemanha
Hof Garten - Jardim da Corte
Hof Garten - o Jardim da Corte possui inspiração no movimento renascentista italiano e foi construído entre 1613 e 1617, para compor a Residenz, cujo salão de festas tem sua face voltada para ele. 

Ele foi destruído na Segunda Guerra e em sua reconstrução, apesar de plantas originais terem sido usadas como base, recebeu influências inglesas. 

No centro dele está o Templo de Diana, a deusa caçadora e no topo dele está a escultura de Tellus Bavarica, a personificação feminina da Baviera, e por extensão a representação de sua força e glória. Quatro fontes dispostas de maneira simétrica completam o cenário. 

Englischer Garten O que ver em Munique Alemanha
Englischer Garten
Englischer Garteno Karl-Theodor-Park foi criado com objetivo de atender a todos os moradores de Munique e não somente a aristocracia, em fins do século XVIII. O jardim foi inaugurado em 1808. 

Ali está o rio artificial Eisbach, de mais ou menos 2 kms que desemboca no rio Isar. Há um trecho com ondas onde a galera pega onda. 

Englischer Garten possui pouco mais de 4 km² e nele estão a famosa torre chinesa, o Monopteros, um templo em estilo neoclássico, a casa de chá japonesa, além de um biergarten

Onde comer:

Munique oferece muitos e antigos lugares para ótimas refeições. O cardápio geralmente é típico com muitas salsichas, porco e cerveja. Normalmente há ambientes internos e externos, onde é permitido fumar. 


Onde comer em Munique, Alemanha
Viktualienmarkt - o mercado central de Munique
Viktualienmarkto mercado de rua de Munique, com mais de 200 anos de existência, onde podemos encontrar frutas, queijos, vinhos, especiarias, salsichas, embutidos, frutos do mar e os tradicionalíssimos biergarten, além de artesanato e flores. 


O mercado funciona de segunda a sábado. De segunda à sexta, das 10:00 às 18:00 e aos sábados, das 10:00 às 15:00, sendo que alguns boxes variam o horário, fechando um pouco mais cedo ou mais tarde.
O que comer na Alemanha
Salsichas de porco e sauerkraut, além de carne de porco com spätzle

Augustiner-Bräu-Ausschanka cervejaria mais antiga de Munique ainda atuante, fundada em 1328, por monges agostinianos. Possui vários endereços. A bela casa onde ela funciona na Neuhauser Straße foi erguida no século XIX. Os preços variavam entre 7 e 20 euros.
Onde comer em Munique Alemanha Hofbräuhaus
Hofbräuhaus 
Hofbräuhaus a cervejaria mais famosa de Munique: foi fundada em 1589, pelo duque Guilherme V para ser a cervejaria da corte. Está no endereço atual, na Platzl 9, desde 1654. Somente em 1830, recebeu autorização para vender cerveja ao público. Hoje ela é extremamente turística. 

No segundo andar da Hofbräuhaus, está um lugar muito significativo para a história do mundo. Foi em um salão, ali situado, onde Hitler fez seu primeiro discurso em 1920 e descobriu que era um bom orador. Começava a terrível trajetória nazista.

O Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães – ainda não sabemos quem está por trás desse produto – anunciou para esta semana duas noites de palestras científico-populares, das quais uma foi realizada na terça-feira, no salão de festas da Hofbräuhaus [cervejaria da corte]. (...) Sob um dos painéis armados pelo orador sobressaía a suástica.” 

Sob o símbolo da suástica, matéria publicada pelo Münchener Post sobre o NSDAP. 

Mais ou menos cem pessoas estavam na Hofbräuhaus naquela noite e Hitler foi aclamado.

Era muito comum nessa época que eventos políticos acontecessem nas cervejarias por duas razões: esses espaços faziam parte do dia a dia da cidade e além do mais tinham capacidade para abrigar muitas pessoas. Não raro as reuniões acabavam com os ânimos acirrados, bate boca e muita pancadaria e destruição. 


Onde comer em Munique Alemanha
Cervejaria Wirtshaus Ayingers



Onde comer em Munique Alemanha
Cervejaria Wirtshaus Ayingers
Wirtshaus Ayingers - essa cervejaria é uma delícia e pouco turística. Talvez porque em frente esteja a Hofbräuhaus, muito mais famosa e entupida de gente e barulho. 

O prédio é lindo e seu interior possui uma decoração típica que te puxa para o antigo, mas que não ignora o presente com o moderninho podendo ser visto um tantinho assim pelo lugar. É possível sentar no balcão ou escolher uma mesa. O atendimento é muito atencioso.  

Hard Rock Café - para os aficionados da marca, há uma unidade em Munique, na Platzl 1. 


35 milli(m)éter Onde comer em Munique Alemanha
35 milli(m)éter
35 milli(m)éterlocalizado na Bayerstr. 3-5: barzinho informal, barulhento e amplo. Cardápio variado de wursts (salsichas), burgers e massas, com preços entre 6 e 15 euros, mais ou menos.

Onde ficar:
Ibis Muenchen City Arnulfpark Onde ficar em Munique Alemanha Rede Accor
Ibis Muenchen City Arnulfpark
Ibis Muenchen City Arnulfpark: distante cerca de 2 kms da Hauptbahnhof (Estação Central), esta unidade do Ibis é bem localizada. Há um ponto de tram quase em frente. A Marienplatz fica distante cerca de 3 quilômetros do hotel, sendo que outras atrações estão em um raio de 5 quilômetros.

Quarto de bom tamanho, cama ampla, macia, três travesseiros grandes e fofíssimos. Bancada de trabalho e wi-fi gratuito no quarto que funcionou muito bem, além de um pequeno sofá. Havia também um armário com gavetas e prateleiras. 

Tinha espelho de corpo inteiro, mas não possuía cofre. No box, que era de vidro, chuveiro padrão europeu com regulagem de altura e temperatura. 

Ali, havia espaço para colocar os produtos de higiene, diminuto, é verdade, mas ótimo, pois muitas unidades da rede não possuem.

Tanto na pia quando no chuveiro havia tubos de sabonete líquido. Encontramos também secador de cabelo e um espaço razoável na pia para apoiarmos nossos pertences. O espelho era grande e a luz era ótima. Pudemos tomar água da torneira.

O café da manhã não estava incluído na diária, mas o hotel possui um variado buffet cujo valor era de 11 euros/dia/pessoa.

Quer receber esse texto em PDF? 
Mande um e-mail para estamosindo@gmail.com.